Inscrições

Informações e Valores
Inscreva-se

Informações

Credenciamento,locais, endereços,...
Saiba +

Palestras e Masterclass

Palestras e Masterclass piano
Inscreva-se

21º Simpósio Paranaense de Educação Musical

"A formação do educador musical na licenciatura"
30/07 a 01/08

Programação e chamada de trabalhos

Estrutura Pedagógica

Clique no nome do curso para ver a "Descrição do Curso" e no nome do professor para ver o Currículo
Programação sujeita a ajustes e alterações
Pesquise:
Pesquisa específica: Limpar seleção
CURSOS
16 a 28
14h - 17h30
Colégio Hugo Simas

01.01 - Regência de Orquestra

Este curso é indicado para regentes em formação. Serão trabalhados os elementos técnicos, teóricos e práticos relacionados com a formação do regente de orquestra, oportunizando uma prática frente à orquestra, bem como o estudo de aspectos como: escolha e análise de repertório, interpretação, planejamento e dinâmica de ensaio, técnica regência.
O curso é de duas semanas. De manhã os alunos participam do "laboratório" de regência no Ouro Verde (Prática de Orquestra/Camerata);
A aula teórico prática será realizada no Hugo Simas no período da tarde.
Repertório para o curso
Grieg: Holberg suite op. 40, 2 melodias elegíacas
Mozart: Sinfonia no.38, Ópera Don Giovanni" no.2,10,23
Beethoven: Sinfonia no.5 op.67
Bizet: Carmen suite no.1

No dia 16 de julho, as 14h no Colégio Hugo Simas, haverá um teste, em que os inscritos devem reger o seguinte repertório:
Mozart: Sinfonia no.38 primeiro movimento
Professor(a)Daisuke Soga (Japão) Daisuke Soga (Japão)
Um dos mais jovens regentes de orquestras no Japão. Daisuke Soga nasceu em 1965, Osaka / Japão. Iniciou seus estudos em 1984 na Toho Gakuen School of Music, estudando Contrabaixo e Regência. Estudou Contrabaixo na Ciprian Polumbescu Musical Academy / Romênia, com Ion Cheptea, e na Hochschule für Musik / Viena; e Academia Musicale Chigiana / Sienna. Foi aluno de Regência de Giuseppe Sinopoli, Bernard Haitink, Seiji Ozawa, Ferdinand Leitner, Robert Spano, Gustav Meier, Leon Fleischer, Uros Lajovic, Ilya Musin, Peter Schwarz, Masahiko Tanaka e Tadashi Mori. Ganhou diversos prêmios: Besançon (Gran Prix), Geneve, Prague, Toscanini, entre outros. Em 1998 Soga ganhou o IV International Kirill Kondrashin Competition for Young Conductors. O presidente do júri, em nome dos demais membros referiu-se a Soga (incluindo Kurt Sanderling, Edo de Waart e Viktor Liberman) "habilidade em colocar grande dramaticidade e caráter nos diferentes estilos de música, clareza em sua técnica e surpreendente maturidade e profissionalismo”. Estas qualidades colocam Soga entre os primeiros, devido não somente ao seu grande talento e determinação, mas também a sua extensa carreira orientada por grandes mestres e vasta experiência com orquestras profissionais.
16 a 28
9h - 12h
Colégio Hugo Simas

01.02 - Regência de Coro Adulto

O curso de Prática de Regência é destinado a alunos e profissionais da área coral que desejam aprimorar a técnica gestual e aprofundar o conhecimento de repertório, técnicas de ensaio, e interpretação musical. O conteúdo do curso abordará vários aspectos relevantes `a prática de regência coral, tais como:
- estudos de técnica gestual,
- seleção de repertório para coros de formação variada,
- estudos de repertório e de interpretação aplicados aos diversos períodos da história da música,
- técnicas de ensaio para coros de formação variada, e
- técnica vocal para coro adulto.
O curso irá também oferecer a cada aluno oportunidades de reger em sala de aula para que todos participem na elaboração de comentários críticos que possam atender as necessidades individuais de cada regente e favorecer o desenvolvimento de todos.
O repertório selecionado abordará diversos aspectos técnicos e artísticos com o objetivo de ajudar o aluno a aprimorar técnicas gestuais e de ensaio relevantes a literatura coral de diferentes períodos da história da música.
Material: pasta preta com plásticos para colocar as partituras, lápis e borracha.
Pré-requisito: boa leitura musical, ser estudante de música e/ou profissional atuante na área coral.
Participação no coro adulto.

Clique aqui para acessar as Partituras que serão trabalhadas no curso.
Professor(a)Ângelo Dias (GO) Ângelo Dias (GO)
Ao longo de sua trajetória artística, ngelo Dias vem desenvolvendo ampla atividade profissional no campo da música vocal, seja como regente, cantor (barítono) ou professor. Seu repertório solista abrange a canção de arte, brasileira e universal, além de outros gêneros como a cantata, o oratório e a ópera. Já atuou como solista com regentes como Helmuth Rilling (Alemanha), Daisuke Soga (Japão), Francesco Grigolo (Itália), Francis Graffeo (USA) e Thomas Sommerville (USA), além de nomes do cenário brasileiro como Norton Morozowicz, Sílvio Barbato, Marshal Gaioso, Emílio de César, Carlos Alberto Figueiredo e Osman Gioia. Ao lado da carreira como cantor, tem atuado profissionalmente como regente à frente de diversos grupos vocais e instrumentais. Nos Estados Unidos, como bolsista das universidades em que cursou mestrado e doutorado, regeu em tempo integral o University Singers, da Universidade de Wyoming e o Coro Masculino da Universidade de Oregon. De 1999 a 2008, foi regente do Coro Sinfônico de Goiânia, com o qual realizou mais de trezentos concertos documentados para a comunidade goianiense e de cidades vizinhas. Como maestro convidado, tem estado regularmente à frente de concertos com a Orquestra Sinfônica de Goiânia, a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás e a Camerata Jean Douliez (EMAC/UFG). Seus aclamados concertos corais-sinfônicos incluem O Messias, de Handel; O Oratório de Natal, a Paixão Segundo São João e diversas cantatas de Bach; a Missa do Orfanato e o Requiem, de Mozart; as missas Lord Nelson e Theresienmesse, de Haydn; o oratório Elias, de Mendelssohn; e o Réquiem Alemão, de Brahms, este na abertura da temporada 2017 da Orquestra e Coro Sinfônicos de Goiânia. Foi professor nos festivais de música de Londrina (2007 a 2011), no VI e VII UNIVERÃO (Universidade Católica de Recife – 2005 e 2006), e na II e III Semanas de Canto Lírico de São Luis, Maranhão (2008 e 2009). Integrou, como regente-professor, os Painéis FUNARTE de Regência Coral, tendo atuado em Cuiabá (2007), Recife (2008), João Pessoa (2009), São Carlos (2010), Quixadá (2011), Belém (2012), Teresina (2013), São João Del Rei (2014) e Aracaju (2016). Comissionado pela Fundação Nacional de Artes (FUNARTE), compôs a obra coral Duas Líricas Brasileiras, para integrar a coleção para coro juvenil daquela instituição, lançada, em 2009, em âmbito nacional e internacional. Publicou também pela extinta Cantus Quercus Press (USA). Em 2016, estreou sua própria edição/orquestração do Te Deum do pernambucano Luís Álvares Pinto (1719-1781), no projeto nacional SESC Partituras. É autor mais de uma centena de arranjos corais. Angelo Dias é Doutor em Artes Musicais (DMA) pela Universidade de Oregon (EUA), Mestre em Música (MM) pela Universidade de Wyoming (EUA) e Bacharel em Canto pela Universidade Federal de Goiás. Desde 1992, é professor na Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, onde rege o Coro de Câmara e atua nos cursos de Graduação e Mestrado, nas áreas de performance e musicologia histórica.
16 a 21
9h - 12h
Igreja de Jesus Cristo

01.03 - Regência de Coro Infantil

Esta oficina pretende refletir o processo didático e criativo no contexto de canto coral infantil. As atividades contemplam experiências práticas e reflexões teóricas com a finalidade de compreendermos e valorizarmos a relação do movimento corporal e da criação no fazer musical. Assim, nossa proposta pedagógica contempla atividades que valorizam o processo criativo musical e corporal para a construção do repertório de um coro infantil.
A oficina para regentes possui como objetivo principal fomentar a aproximação do binômio teoria-prática para o aprimoramento do regente de coro infantil.
Especificamente temos como objetivos:
a) estudar o processo de ensino/aprendizagem musical no contexto do canto coral infantil;
b) proporcionar aos participantes o contato a práticas pedagógicas criativas;
c) aprimorar o desenvolvimento técnico do gestual de regência;
d) expandir o entendimento de processo criativo musical e corporal para o contexto coral; e por fim, e) produção de uma mostra de resultados.
Obs.: Os regentes inscritos no Curso de Regência de Coro Infantil atuarão junto à Prática de Coro Infantil , para observar o trabalho prático de aplicação dos princípios abordados no referido Curso.

Clique aqui para acessar as Partituras que serão trabalhadas no curso.
Professor(a)Édi Marques (PR) Édi Marques (PR)
Mestre em Cognição e Educação Musical pela Universidade Federal do Paraná – UFPR. Especialista em Regência de Coros Infantis e Juvenis pela Fundación Schola Cantorum de Venezuela. Licenciado em Música pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Foi Regente do Coral infantil da UFPR. Atuou como pianista correpetidor da Escola de Dança do Teatro Guaíra e professor de musicalização para as turmas iniciais de ballet. Participou como assistente de regência e direção pedagógica do Espetáculo de Natal do Palácio Avenida de Curitiba - HSBC, entre os anos de 2009 a 2017. Atualmente assistente de regência, direção pedagógica e musical do projeto HSBC Educação, recentemente sob a coordenação do Banco BRADESCO, onde desenvolve atividades de educação musical por meio do canto coral, movimento corporal e orquestra. Estudante de graduação em Ciências Sociais pela UFPR. Professor colaborador da Universidade Estadual do Paraná – UNESPAR Campus II, onde coordena o curso de extensão Canto na Escola: uma experiência à prática de coro infantil, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Curitiba. Professor Colaborador da Universidade Estadual de Ponta Grossa.
CURSOS
16 a 28
9h - 12h
Teatro Ouro Verde

02.01 - Prática de Orquestra/Camerata

Aula prática para Regência de Orquestra e instrumentos da Camerata do 38º FIML.
A Camerata do 38 FIML será formada com bolsistas de projetos sociais os quais já possuem vínculo de participação com o Festival nas edições anteriores.
Sugerimos aos alunos não bolsistas, que se inscrevam na "Prática de Música de Câmara"
A Organização e os testes da Camerata será no dia 16 as 9h no Colégio Hugo Simas
Professor(a)Daisuke Soga (Japão) Daisuke Soga (Japão)
Um dos mais jovens regentes de orquestras no Japão. Daisuke Soga nasceu em 1965, Osaka / Japão. Iniciou seus estudos em 1984 na Toho Gakuen School of Music, estudando Contrabaixo e Regência. Estudou Contrabaixo na Ciprian Polumbescu Musical Academy / Romênia, com Ion Cheptea, e na Hochschule für Musik / Viena; e Academia Musicale Chigiana / Sienna. Foi aluno de Regência de Giuseppe Sinopoli, Bernard Haitink, Seiji Ozawa, Ferdinand Leitner, Robert Spano, Gustav Meier, Leon Fleischer, Uros Lajovic, Ilya Musin, Peter Schwarz, Masahiko Tanaka e Tadashi Mori. Ganhou diversos prêmios: Besançon (Gran Prix), Geneve, Prague, Toscanini, entre outros. Em 1998 Soga ganhou o IV International Kirill Kondrashin Competition for Young Conductors. O presidente do júri, em nome dos demais membros referiu-se a Soga (incluindo Kurt Sanderling, Edo de Waart e Viktor Liberman) "habilidade em colocar grande dramaticidade e caráter nos diferentes estilos de música, clareza em sua técnica e surpreendente maturidade e profissionalismo”. Estas qualidades colocam Soga entre os primeiros, devido não somente ao seu grande talento e determinação, mas também a sua extensa carreira orientada por grandes mestres e vasta experiência com orquestras profissionais. Mr. Caballé-Domenech fez sua estréia na ópera do Barcelona Liceu realizando performances de Così fan tutti de Mozart. Produções posteriores realizadas no Liceu incluem Il mondo della luna de Haydn, de Donizetti L Elisir d amore, de Granados Maria del Carmen, e de Lucia di Lammermoor de Donizetti. Ele também levou produções Liceu no Festival Savonlinna e no La Fenice , em Veneza. Mr. Caballé-Domenech tem conduzido As Bodas de Fígaro no Stuttgart State Opera , Tosca, Carmen e As Bodas de Fígaro na Volksoper de Viena , Fígaro, barbeiro de Sevilha e Carmen no Semperoper Dresden , La Bohème, em Lisboa, no Teatro São Carlos, e uma produção altamente aclamado de Luisa Fernanda, no Theater an der Wien com Plácido Domingo no principal papel. Destaques recentes inclui a estréia de E. Palomar ballet "Negro Goya" no 60º Festival Internacional de Granada, estreia no Royal Albert Hall de Londres e uma gravação de Respighi Roman Trilogy para Onyx Classics com a Royal Philharmonic Orchestra , estréia no Semperoper Dresden com de Mozart Nozze di Figaro, Komische Oper Berlin, Teatre Real du Versailles em Paris, Montpellier, Concertgebouw de Amesterdão, com a Orquestra da Rádio Câmara, Orquestra Sinfônica de Euskadi, Belo Horizonte Philharmonic / Brasil, Tampere Philharmonic / Finlândia, e retorna para festivais de verão como Aspen Music Festival , Texas Music Festival Houston e Wintergreen Festival nos EUA, entre outros. Compromissos futuros incluyes uma nova produção de Carmen de Bizet no Semperoper Dresden [ 2 ] e performances de Barbier de Rossini e de Mozart Nozze di Figaro, Boheme de Puccini [ 3 ] na Staatsoper de Berlim e novas produções em Essen e Toulouse. Josep Caballé-Domenech foi agraciado com o Prêmio Aspen da Academia Americana de Realização em Aspen . Ele foi selecionado para ser "Sir Colin Davis Protégé" no primeiro Rolex Mentor e ciclo inaugural do Protégé Arts Initiative (2002-2003).
16 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

02.02 - Prática de Música de Câmara

O curso está modelado para atender a grande diversidade de níveis, interesses, configurações e repertório que o mesmo comporta. Propõe a execução orientada de obras musicais, objetivando-se, através da prática de conjunto, trabalhar questões relativas à prática interpretativa, bem como aos períodos, gêneros e estilos abordados. O repertório a ser trabalhado será estabelecido de acordo com as possibilidades de formação dos grupos de Câmara.
É aberto a todos os interessados. Serão priorizados os inscritos que já se constituírem em Grupos Camerísticos e indicarem um repertório os mais diversos, duos, trios, quartetos, etc. Tal repertório será trabalhados com os professores presentes no Festival, oportunizando que os participantes possam transitar pelos professores dos instrumentos que compõe o grupo.
A direção pedagógica realizará a organização prévia e juntamente com o corpo de professores para que a diversidade de formações seja contemplada.
Interessados que não possuem grupo, também são bem vindos.
Professor(a)Irina Ratcheva (PR) Irina Ratcheva (PR)
Natural da Bulgária,concluiu a Escola de Música “Dobri Christov” da cidade de Varna, na classe de piano da Ekaterina Zvetkova e Anna Varbanova e na Academia Superior de Música “Pantcho Vladiguerov” de Sófia realizou a sua graduação superior e Mestrado em piano na classe dos professores Bogomil Starchenov e Nikolai Evrov. Especializou se em Música de Câmara e Acompanhamento Pianístico com a Drª Savka Chopova e posteriormente cursou Pós-graduação em Piano com o pianista Anton Dikov.Participou em diversos Master Classes na Bulgária, Alemanha e Rússia em performance em Piano e Música de Câmara. Realizou aulas com o notável pianista A. Waissenberg. 3º lugar no concurso nacional de piano “Svetoslav Obretenov “- Provádia(1982).Pianista-acompanhadora no departamento de Cordas, Sopros e Canto Lírico da Academia de Música de Sófia.Realizou recitais e concertos com a Orquestras Sinfônicas nas principais cidades da Bulgária. Radicada no Brasil desde 1988, participa como Pianista-acompanhadora e professora de piano e Música de Câmara nos Festivais de Música de Londrina, alem de realizar diversos recitais cameristicos. Vencedora de dois Concursos Internacionais de Música de Câmara, gravou o seu primeiro CD, junto com violista Jairo Chaves e atuou como docente no Curso de música da Universidade Estadual de Maringá.Pianista da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina desde 1996 e doutoranda em performance, junto a Academia Superior de Música “Pantcho Vladiguerov” de Sófia. Produtora da Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” e Diretora Artística da Série Palcos Musicais.
23 a 28
16h30 - 18h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.03 - Prática e Regência de Banda de Sinfônica

Público Alvo: Instrumentistas de sopro, percussionistas e regentes de banda
O curso é destinado a instrumentistas de sopro, percussionistas e regentes de banda. Ele focará na preparação e realização de um concerto com obras para banda de música sinfônica e tradicional. O repertório incluirá obras originais, transcrições e arranjos de música popular por compositores nacionais e estrangeiros. A prática visa aprimorar a habilidade de se tocar em conjunto, incluindo atividades de equilíbrio sonoro, aquecimento, estudos técnicos, afinação, articulação, percepção e improvisação. Cada participante deve trazer seu instrumento musical.
OBRIGATÓRIO QUE CADA PARTICIPANTE TRAGA SUA ESTANTE E SEU PRÓPRIO INSTRUMENTO
Clique aqui para acessar as Partituras que serão trabalhadas no curso.
Professor(a)Lélio Alves (BA) Lélio Alves (BA)
Iniciação: Banda de Concerto de Volta Redonda-RJ. Formação acadêmica: bacharelado em trombone e tuba (bombardino) na UFRJ. Especialização de Docência Superior na Faculdade Béthencourt da Silva (FABES-RJ). Formação Pedagógica (ISERJ). Mestrado em Música (UFRJ). Doutorado em Música (UNIRIO). Grupos onde atuou: Orquestra Sinfônica da Bahia, Banda Sinfônica do CBMERJ, Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra BR Sinfônica, Quinteto Carioca de Metais, Madrigal de Trombones do RJ, entre outros. Festivais e Cursos onde lecionou ou atuou: a)Trombone: Festival Vale do Café-RJ (2007-2015); Fórum de Música, Educação, Gestão e Cidadania-RJ (5 edições; Gramado in Concert (2015); Oficina do XX Festival de Música Instrumental da Bahia (2015 e 2016); Festival Internacional de trombones da UNIRIO (2012,2014, 2016); Jornada de Qualificação profissional pelo Interior da Bahia(2013); Diversos Festivais da Associação Brasileira de Trombonistas (ABT). Performa – Portugal (recital com Trio do bahiabones - 2015); Turnês com o Quinteto de Metais da UFBA na Argentina, Uruguai, Chile e Estados do Nordeste. III Forum de Instrumentos de Metais do Centro-Oeste e I Encontro Brasileiro de Quintetos de Metais. (2013); I Encontro Pernambucano de Metais (2015); Seminário de Metais da UEA (2013/2014); Masterclass de Trombone na Universidad de La Republica Uruguay (2015); Tapera das Artes- Projeto Mestre e Aprendiz (2011) b) Banda de Música: Festival de Música de Londrina (2015/Banda de Música); Fórum de Bandas Filarmônicas da UFBA (2014/2015); Congressos da ABEM (2011/2013), Jornadas Acadêmicas Integradas do Centro de Letras e Artes (UFSM - 2012); Encontro Regional (Sudeste) da ABEM em Vitória-ES (2014). Publicações: Trombone Fácil: método para principiantes de trombone, bombardino e tubas (Irmãos Vitale,2014); Dissertação onde elaborou um catálogo temático de obras para trombone, referência no meio trombonístico.Tese de doutorado onde propôs a transformação do ensaio de uma banda de música escolar em um Ensaio-Aula, além de artigos. Projetos e Escolas onde lecionou: Volta Redonda Cidade Da Música (RJ); PIM (Projeto de Integraçaõ pela Música (RJ); Bamuca (Camaçari-BA). Orquestra Jovem da Petrobrás-Sinfônica (RJ); Prefeitura do Rio de Janeiro. Atividades atuais: professor adjunto de trombone da UFBA; professor do Mestrado Profissional (PPGPROM) da UFBA; membro do Quinteto de Metais da UFBA; membro do grupo Belle Époque(RJ); professor e coordenador do Curso de Licenciatura em Música e da Pós-Graduação em Educação Musical do Instituto Brasileiro de Educação Superior Continuada (IBEC). Professor de metais e regente da Banda de Concerto da FAETEC-Marechal Hermes.
16 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

02.04 - Violino

O curso​ de violino​ visa trabalhar aspectos referentes às habilidades para execução e interpretação do repertório violinístico solo​, camerístico​ e orquestral​ de diversos estilos, compositores e formações​. As aulas serão realizadas individualmente ​e em sistema de master class abordando os diversos ​aspectos que envolvem a formação do violinista:​
• Orientações gerais de postura corporal, sonoridade, articulação,​ arcada, exercícios técnicos específicos ​visando o desenvolvimento e aprimoramento da perfomance do repertório estudado;
• Estudos técnicos ​contemplando diversas abordagens pedagógicas.
• Estudo do repertório variado de diferentes períodos, com valorização da música brasileira (sonatas, concertos, suítes, etc.), para instrumento solo e música de câmara (duos, trios e quartetos selecionados);
• Contextualização histórica das peças. Organização formal da obra, interpretação e expressão;

O curso será ministrado no período de 16 a 21/07 pelo professor Evgueni Ratchev e no período de 23 a 28/07 pelas professoras Carla Rincón e Andréia Carizzi.
O desenvolvimento das aulas serão organizados a partir do encontro dos professores e alunos no dia 16/07 no Colégio Hugo Simas.
Professor(a)Evgueni Ratchev (PR) - 16 a 21/07 Evgueni Ratchev (PR) - 16 a 21/07
Natural da Bulgária, o violinista Evgueni Ratchev realizou sua Graduação e Mestrado em Violino na Academia Superior de Música de Sófia, Bulgária. Especializou-se em Violino com o Profº Fritz Elers como camerista com o Profº Ziegfried Palm (Alemanha) e em Regência Orquestral com Franco Ferrara em Siena(Itália). Finalista no Concurso Internacional de Violino “J. S. Bach” em Leipzig (Alemanha). Integrou como Spalla e Solista uma das mais importantes Orquestras de Câmara da Bulgária “Stúdio Concertante”. Em 1987, veio para o Brasil, criando o Quarteto de Cordas de Belém. Fundou a Orquestra de Câmara do Pará, atuando como regente e spalla. Como maestro convidado e solista, realizou vários concertos no Brasil, com as Orquestras Sinfônicas de Belo Horizonte, Brasília e Paraná, Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina. Desde 1996 é Spalla da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina. Ocupou o cargo de maestro adjunto nesta mesma orquestra no período de 1996 à 2003.Realizou concertos como regente convidado da Garland Symphony Orchestra, New Symphony Orchestra of Arlington, Las Colinas Symphony Orchestra, no Texas(EUA). Desenvolveu intensa atividade pedagógica como professor de violino no Curso de Música do Colégio Mãe de Deus em Londrina e integrou o corpo docente de violino e música de câmara no Curso Superior de Música da Universidade Estadual de Maringá (Pr). É professor convidado nos Festivais de Música de Londrina, Brasília e Cascavel. Em 1998 fundou Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” sendo spalla e Diretor Artístico. Dirigiu a gravação do primeiro CD “Imagens Brasileiras” da Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” que resultou em reconhecimento nacional recebendo o maior prêmio de música, PRÊMIO TIM DE MÚSICA BRASILEIRA. Anualmente é convidado a realizar master classes de violino e concertos como regente e solista de Missouri Chamber Orchestra e da Univesity Philarmonic Orchestra, Missouri-Columbia (EUA)
Professor(a) Carla Rincón (RJ) - 23 a 28/07Carla Rincón (RJ) - 23 a 28/07
Carla Rincón, violino A premiada violinista Carla Rincon foi indicada ao Grammy Latino, Prêmio da Música Brasileira e Prêmio de Cultura do Governo do Rio de Janeiro e conquistou os prêmios Carlos Gomes e Rumos Itaú com o Quarteto Radamés Gnattali, do qual é fundadora, líder artística e primeiro violino. Com uma reconhecida carreira como camerista e solista Carla se apresentou em importantes salas como o Carnegie Hall, Americas Society, Teresa Carreño, Sala Cecilia Meireles, e viajou pelo Japão, Alemanha, Áustria, Venezuela, Colômbia, México, Paraguai, Suíça, África do Sul, Portugal, Espanha, Estados Unidos divulgando a música brasileira de concerto. Entre as suas gravações aclamadas pela crítica estão Quadro Brasil, As Quatro Estações Cariocas, Prelúdio XXI e o DVD Rio 450o, além das obras integrais para cordas de Radamés Gnattali, Ricardo Tacuchian e Heitor Villa-Lobos. Com este último registro, em DVD e Blu-Ray, Carla Rincón tornou-se a primeira mulher a gravar todo o repertório para formação de quarteto do mais conhecido compositor brasileiro. Sua carreira teve início no famoso Sistema Nacional de Orquestras Infantis e Juvenis da Venezuela, onde atuou como solista das mais importantes orquestras daquele país e se destacou como professora no conservatório Simón Bolivar. Premiada com uma bolsa integral do Conselho Nacional de Cultura da Venezuela e da North Carolina School of the Arts, onde foi vencedora do Solo Competition 2001, Carla graduou-se nessa Universidade como aluna e assistente de Kevin Lawrence. Concluiu seu GPD em 2010, na Universidade de Hartford sob orientação de Katie Lansdale e participou de inúmeros concertos com a Greensboro Symphony Orchestra, Chamber Music Faculty Society (NCSA), Chamber Music Festival (NCSA), Roanoke Island Arts Festival e Killington Music Festival. Atualmente é diretora artística e pedagógica da plataforma educativa Brasil de Tuhu, diretora musical e pedagógica do Instituto Zeca Pagodinho. Faz parte do corpo docente de importantes festivais e projetos tais como Campos do Jordão, Domingos Martins, Festival do Pará, Orquestrando a Vida, núcleo pedagógico do Festival Villa-Lobos, Mozarteum de Caracas e o Corona Youth Music Project em Nova Iorque. Além da sua intensa carreira musical, mantem uma ativa agenda de palestras, aulas e cursos para formação de professores.
Professor(a)Andrea Carizzi (RJ) - 23 a 28/07Andrea Carizzi (RJ) - 23 a 28/07
Mestre em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro(UNIRIO), Andréia iniciou seus estudos de violino aos 11anos na Escola de Música de Brasília, onde atuou como solista e spalla da orquestra principal. Em 2002, mudou-se para o Rio de Janeiro, tendo estudado com Paulo Bosísio, Daniel Guedes e Carla Rincón. Foi vencedora do Concurso Jovens Solistas da UFRJ em 2006, interpretando o Concerto em Mi menor de Mendelssohn; segundo prêmio no Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio 2003; finalista de Furnas Geração Musical 2006; finalista do I Concurso Cantareira 2008. Atuou como spalla convidada nas temporadas 2009 e 2010 da Orquestra Filarmônica do Espírito Santo. É musicista efetiva e spalla da Orquestra Sinfônica da UFRJ aprovada em concurso público desde 2010. Como segundo violino do Quarteto Radamés Gnattali, participa regularmente de festivais nacionais e internacionais e tem se apresentado em importantes palcos do país e exterior, destacando-se o Carnegie Hall em Nova Iorque. Gravou as obras integrais para quarteto de cordas de Ricardo Tacuchian, Radamés Gnattali e o DVD Rio 450° - A Música nos Detalhes da Cidade, além de uma série em 13 programas de TV sobre os quartetos de cordas de Heitor Villa-Lobos.
16 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

02.05 - Viola

Conteúdo:
- Técnica aplicada à mão esquerda: mecanismo básico, mudanças de posição,articulação, vibrato, glissando, cordas duplas.
- Técnicas de mão direita: golpes de arco aplicados a estudos e repertório.
- Repertório e prática interpretativa do barroco ao contemporâneo.
- Música de Câmara: duos ou trios de viola
Pré-requisitos
- O curso contemplará tanto estudantes de nível médio e avançado bem como iniciantes no instrumento.
O desenvolvimento das aulas será organizado a partir do encontro dos professores e alunos no dia 16/07 no Colégio Hugo Simas.

Obs. O curso será ministrado na primeira semana pelo professor Jairo Chaves e na segunda semana pelo professor Marco Catto.
Professor(a)Jairo Chaves (PR) - 16 a 21Jairo Chaves (PR) - 16 a 21
Radicado em Londrina desde 1995, vencedor de diversos Prêmios Nacionais e Internacionais, atuou como solista à frente de várias orquestras brasileiras e européias. Em 2001 lançou seu primeiro CD com obras de Hindemith, Piazzolla e Guerra-Peixe e recentemente gravou a obra “Brasiliana” de Edino Krieger para Viola e Orquestra de Cordas. Realizou recitais na Europa e Estados Unidos. Entre os anos de 2003 e 2004, a convite do Primeiro Violista da Filarmônica de Berlim (Alemanha), Wilfried Strehle, foi membro da Academia da Filarmônica de Berlim, período em que integrou o naipe de violas da Filarmônica em inúmeros concertos sob a regência de consagrados maestros tais como: Sir Simon Rattle, Bernard Haitink, Daniel Barenboim, Pierre Boulez, entre outros. Em 2012, participou como convidado dos festejos de 40 anos da Academia da Orquestra Filarmônica de Berlim, onde atuou novamente sob a regência do maestro Sir Simon Rattle. Atuou como professor convidado do Projeto-social de formação de músicos de orquestra NEOJIBA (Bahia) de 2012 a 2014. Atua como Primeiro Violista da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina desde 1995 e da Orquestra de Câmara “Solistas de Londrina” desde sua fundação em 1998, além de ser convidado para gravações, recitais solo, participações em Orquestras (tais como OSESP, OSBA e OSP), e professor em Festivais de Música pelo Brasil.
Professor(a)Marco Catto (RJ) - 23 a 28Marco Catto (RJ) - 23 a 28
Marco Antonio Catto Ribeiro - Natural de São Paulo, Marco Catto graduou-se bacharel pelo Instituto de Artes da UNESP em 2001. Foi membro da Orquestra Experimental de Repertório e da Camerata Fukuda durante seu bacharelado, nessa última tendo se apresentado como solista. Em 2002 ingressou na Orquestra Sinfônica do Teatro Municipal de São. Mudou-se para a Hungria em 2004, onde estudou como bolsista da Fundação Vitae na Franz Liszt Music Academy com a Profa. Dra. Leila Rásonyi, e na classe de música de câmara do professor Laszlo Biháry. Foi membro da orquestra Vento Scala Zenekar e apresentou-se como solista da Orquestra Sinfônica de Szolnok. Em 2006 iniciou o seu mestrado na DePaul University em Chicago, o qual se formou com distinção, tendo aulas com o renomado Pr. Dr. Ilya Kaler (medalhista de ouro nos concursos Tchaikovsky, Paganini e Sibelius) e aulas de música de câmara com os professores Rami Solomonov (Israel), Stephen Balderston (EUA) e Aglika Angelova (Bulgaria). Nesse período foi membro da Civic Orchestra of Chicago, onde se apresentou frente a grandes nomes da regência como Pierre Boulez, Bernard Haitink, Kent Nagano, Mark Elder, Oliver Knussen, Alan Gilbert, Andrew Grams, entre outros. Também foi integrante, por dois anos, da orquestra barroca Advent Chamber Orchestra, onde se apresentou como solista junto ao renomado violinista Jacques Israelievich. Apresentou-se com o grupo de música contemporânea Dal Niente, em Chicago, e foi Spalla da DePaul Symphony Orchestra. Participou de festivais e cursos de férias em Itu, Curitiba, Tatuí, Campos do Jordão, São Paulo (Festival Internacional de música de câmara) e Zeist (festival de quartetos - Holanda). Apresentando-se em Master Classes de professores como Chain-Taub (Israel), Eric Friedman (EUA), Sidney Hart (EUA), Shmuel Ashkenasi (Israel), Matias Tacke (Alemanha), Jerrold Rubenstein (EUA), Gerardo Ribeiro (Portugal), Almita Vamos (EUA), entre outros. Atualmente Marco Catto é membro da Orquestra Sinfônica da UFRJ, chefe de naipe das violas da orquestra Johann Sebastian Rio, fundador do Trio UFRJ e do Trio Paineiras e desde 2016 é violista do renomado Quarteto Radamés Gnattali.
23 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

02.06 - Violoncelo

Aula coletiva: Exercícios executados coletivamente que desenvolvam aspectos fundamentais da técnica mecânica do violoncelo. Dentre os principais pontos estão:
- Postura e relaxamento: utilização do potencial máximo do corpo visando a qualidade sonora com o mínimo de esforço muscular e desgaste físico.
- Controle do arco em diversos tipos de articulação e dinâmicas.
- Coordenação da mão esquerda no que se refere ao relaxamento, afinação, agilidade e vibrato.
- Os exercícios trabalhados serão dos métodos de Feuillard, Starker, Mooney e do próprio professor.
Masterclass: Alunos executam suas peças individualmente e recebem orientação do professor enquanto os demais colegas assistem. Foco em questões musicais, interpretativas e performáticas: estilo, fraseado, dinâmica, gógica, criatividade, concentração e ansiedade de palco.

Professor(a)Pedro Henrique Ludwig (PR) Pedro Henrique Ludwig (PR)
Pedro Henrique Ludwig vem atuando como músico de orquestra, camerista e professor de violoncelo desde 2000. Foi o primeiro violoncelista a graduar-se pela Universidade Federal de Santa Maria em 2004, e no ano seguinte transferiu-se para os Estados Unidos para dar seguimento à sua formação. Recebeu o título de mestre pela Universiy of South Carolina, onde atuou no USC Graduate String Quartet, e prosseguiu com estudos de aperfeiçoamento na Carnegie Mellon University, com bolsas de estudos das próprias universidades. Vem atuando como músico convidado em orquestras no Brasil e nos Estados Unidos, destacando a South Carolina Philharmonic Orchestra, Augusta Symphony Orchestra, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e Orquestra Sinfônica Brasileira. Em 2012 atuou como chefe de naipe e coordenador da orquestra na gravação do CD “Responsórios Fúnebres” - José Maurício Nunes Garcia, do Coral Porto Alegre, com regência de Ernani Aguiar. Trabalho que recebeu o Prêmio Açorianos de Música como melhor intérprete erudito em 2012. Como professor, Pedro vem trabalhando no ensino de violoncelo de crianças de 7 anos a adultos amadores e, mais recentemente, jovens em fase de profissionalização. Trabalhou no Curso de Extensão da UFSM (Núcleo Suzuki de Santa Maria), implantou o ensino de violoncelo no Colégio Evangélico Augusto Pestana (Ijuí/RS), e deu assistência à classe de ensino médio da University of South Carolina. Lecionou também no Festival de Música de Cascavel em 2012 e 2013. Desde 2013 é professor do Departamento de Música da Universidade Estadual de Maringá. Seus principais professores foram Mônia Kothe, Adriane Savytzky, ngela Ferrari, Robert Jesselson e David Premo.
Professor(a)Hugo Pilger (RJ)Hugo Pilger (RJ)
Doutor em Música pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), Hugo Pilger (Porto Alegre-RS, 1969) iniciou seus estudos de violoncelo na Fundarte (Fundação de Artes de Montenegro-RS) com Milton Bock. Em 1987, passou a estudar no Rio de Janeiro com Marcio Malard, e em 1994, na classe do professor Alceu Reis, formou-se no curso de Bacharelado em Instrumento Violoncelo da UNIRIO, instituição na qual concluiu seu Mestrado em Música em 2012. Como solista, se apresentou à frente de várias orquestras, dentre elas: Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, Orquestra Sinfônica da Bahia, Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Ouro Preto, Orquestra Sinfônica Nacional, Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Realizou turnês em diversos países da Europa, América do Sul e do Norte. Em 2006, Hugo fez a estreia no Brasil da importante obra para violoncelo e orquestra Tout un Monde Lointain do compositor francês Henri Dutilleux, e, em 2009, a estreia sul-americana do concerto para violoncelo e orquestra Pro et Contra, do compositor estoniano Arvo Pärt. Das obras que lhe foram especialmente dedicadas, destacam-se: Sonata nº 2 para Violoncelo Solo de David Ashbridge, Orégano de Ricardo Tacuchian, Meloritmias nº 10 de Ernani Aguiar, Serenata pro Pilger de Maurício Carrilho, Reflexões sobre a Ostra e o Vento de Wagner Tiso, Sortilégios de Marcos Lucas, O Golpe para violoncelo e orquestra de cordas de Felipe Radicetti, Esferas para violoncelo, quatro trompas e orquestra de cordas de Paulo Francisco Paes e Concerto para violoncelo e orquestra (2013) de Ernst Mahle. É primeiro violoncelo da Orquestra Petrobras Sinfônica, membro do Quarteto Radamés Gnattali, Trio Porto Alegre e professor da classe de violoncelo da UNIRIO. Destacam-se, dentro de sua discografia, o CD Hugo Pilger interpreta Ernani Aguiar (“Melhor Intérprete Erudito” e “Melhor Álbum Erudito” no Prêmio Açorianos de Música 2015/2016 de Porto Alegre-RS) e o CD duplo, DVD e Blu-Ray gravado com a pianista Lúcia Barrenechea, intitulado Presença de Villa-Lobos na Música Brasileira para Violoncelo e Piano, que contém o primeiro registro do violoncelo que pertenceu ao compositor Heitor Villa-Lobos, um Martin Diehl de 1779. Este projeto ficou entre os três finalistas do Prêmio da Música Brasileira de 2015. Em 2017 lançou o CD Ernst Mahle, a integral para violoncelo e piano gravado com o pianista Guilherme Sauerbronn e o volume II do Presença de Villa-Lobos na Música Brasileira para Violoncelo e Piano, projeto indicado ao Prêmio Açorianos de Música 2016/2017 como “Melhor Álbum Erudito” e “Melhor Intérprete Erudito” para Hugo Pilger, concluindo a integral deste compositor para esta formação. É autor do livro Heitor Villa-Lobos, o violoncelo e seu idiomatismo.
16 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Teatro Ouro Verde

02.07 - Contrabaixo Acústico

O curso de contrabaixo tem como principal objetivo o trabalho em conjunto, seja ele no formato de ensaios de naipe para as demandas do próprio Festival, bem como para preparação de "Conjunto de Contrabaixos". Haverá também a preparação individual de cada participante, com estudos de escalas e arpejos em suas respectivas e golpes de arco.
Observação:
Cada aluno deve trazer o material que desejar trabalhar individualmente.
Material para conjunto de contrabaixos será distribuído conforme o nível da classe.
Material para ensaio de naipe - será o programa feito com a Camerata do FIML
Professor(a)Ana Valéria (SP) Ana Valéria (SP)
Ana Valéria Poles nasceu em Tatuí (SP) e começou a estudar contrabaixo aos 12 anos com o professor Nikolay Schevtschenko no Conservatório de Tatuí, formando-se em 1981. Após vencer importantes prêmios nacionais e tocar como solista com importantes orquestras brasileiras, foi para a Áustria em 1982, como bolsista do Governo do Estado de São Paulo, para estudar na Escola Superior de Música e Artes Cênicas de Viena (hoje Universidade de Música) com o lendário professor Ludwig Streicher. Obteve também bolsas de estudo da Fundação Alban Berg de Viena e do Ministério Austríaco. Em 1988, formou-se contrabaixista na classe de Ludwig Streicher com “Einstimmige Auszeichnung” (distinção unânime) e recebeu o “Würdigungspreis” (prêmio de honra ao mérito) concedido pelo Ministério de Ciência e Tecnologia da Áustria. Na Europa, integrou o conjunto Novos Solistas de Viena, a Primeira Orquestra de Mulheres da Áustria e a Orquestra Franz Lehár, tendo tocado também com a Orquestra Mozarteum de Salzburg. Foi idealizadora e integrante do Quinteto D Elas, com o qual gravou três CDs. Em 2009, gravou seu primeiro trabalho solo, o CD intitulado “Por toda minha vida”, lançado pelo selo Clássicos, com obras originalmente escritas para contrabaixo. Recebeu o Título de Cidadã Emérita Tatuiana, concedido pela Câmara dos Vereadores dessa cidade em 2011. A partir de 1997, assume como 1º Contrabaixo da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), orquestra a qual é integrante desde 1988. Em Junho de 2016 lançou o livro “Sistema de arcadas e golpes de arco em escalas e arpejos para contrabaixo” pela Editora Tipografia Musical de São Paulo. Em julho de 2016 concluiu o Mestrado no curso de Pós Graduação Profissional em Música (PPGPROM) pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). É professora da Faculdade Cantareira de São Paulo e da Academia de Música da OSESP.
23 a 28
9h-12h ou 14h- 17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.08 - Clarinete

Professor(a)Pedro Robatto (BA) Pedro Robatto (BA)
Clarinetista, natural de Salvador-Ba-Brasil, formou-se no curso de Bacharelado com o prof. Klaus Haefele na Escola de Música da Universidade Federal da Bahia, e na mesma instituição, concluiu Mestrado e Doutorado em Execução Musical com o prof. Joel Barbosa . Em 1998 estudou com os professores Earl Thomas e Patricia Kostek na Universidade de Victoria no Canadá, como bolsista do Ministério da Cultura, e em 1988 como aluno convidado na Escola Estatal de Música de Karlsruhe na Alemanha, com o professor Wolfgang Meyer. Participou de vários cursos e festivais de música no Brasil, Alemanha, Argentina, Suíça, Itália, EUA e Canadá. Durante estes cursos teve a oportunidade de participar de Masterclasses com clarinetistas renomados, como por exemplo, Walter Boeykens, Francesco Belli, John Laughton e Alain Damiesn. Foi vencedor de concursos de música no Brasil e na Argentina, entre eles o I Concurso Internacional de Buenos Aires - categoria de Música de Câmara (1996), Concurso Nacional de Jovens Cameristas de João Pessoa (1996), Concurso Nacional de Música de Câmara da Faculdade Santa Marcelina - São Paulo (1995), Concurso Jovens Solistas da OSESP (1989) e Concurso Jovem Solista da Orquestra Firestone, Londrina - PR (1990). Também foi finalista do VIII Prêmio Eldorado de Música – São Paulo (1995). Desde 1989 é Clarinetista Principal da Orquestra Sinfônica da Bahia e desde 1992 é Professor de Clarinete e Música de Câmara da Universidade Federal da Bahia no curso de Bacharelado e Pós-graduação. Participou como Professor de clarineta do Curso Internacional de Verão de Brasília (2005 a 2011); Professor no III e IV Festival de Inverno Unisinos (2004 e 2005) - Rio Grande do Sul e como Professor Assistente (Teacher Assistent) na Universidade de Victoria (1999) – Canadá.
23 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.09 - Flauta Transversal

Abordagem geral do repertório de flauta e piccolo, além de estudos e excertos orquestrais. Ênfase na interpretação de música brasileira de câmara.
Professor(a)Rubem Schuenk (SP) Rubem Schuenk (SP)
Doutorando em Performance Musical pela UFMG, Rubem Schuenck concluiu Mestrado nesta mesma instituição e graduação na UFRJ.Flautista do Quinteto Villa-Lobos desde 2012, atua também como primeira flauta na Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.Orientador no curso de pós-graduação em Música de Câmara no Conservatório Brasileiro de Música, ministra aulas em festivais de música como o de Belém do Pará e Cartagena de Índias na Colômbia.
23 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.10 - Oboé

NIVEL INICIANTES:
1] Revisão da técnica básica de respiração.
2] Noções de respiração abdominal, toráxica e completa.
3] Apoio, impulso diafragmático, condução do fluxo de ar e aplicação para os instrumento de sopro.
4] Notas longas mantendo a afinação e o timbre.
5] Início às escalas e arpejos.

NIVEL MÉDIO:
1] Movimentos lentos de obras barrocas para aplicação da técnica de condução do fluxo de ar – fraseado.
2] Início ao estudo do vibrato e estacato diafragmático.
3] Estudo de obras barrocas e clássicas para o instrumento e partes orquestrais até o final do classicismo.
4] Exercícios de escalas e arpejos em toda a extensão do instrumento.
5] Informações sobre confecção e conserto de palhetas. Os vários raspados: vantagens e desvantagens de cada um.

NIVEL ADIANTADO:
1] Repertório envolvendo o romantismo e sonatas do século XX. Casos excepcionais com músicas atuais e/ou com técnica estendida serão obviamente considerados e trabalhados.
2] Principais solos de obras orquestrais.
3] Aplicação do vibrato como ferramenta de expressão no som.
4] Música de câmara. Conhecimento e prática dentro da disponibilidade de tempo.
Professor(a)Luis Carlos Justi (RJ) Luis Carlos Justi (RJ)
Natural de Piracicaba, SP, estudou com Ernst Mahle e José Davino Rosa. Foi professor de oboé e música de câmara na Universidade Estadual de Campinas, SP, até 1984, quando se transferiu para o Rio de Janeiro, para a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. Doutor em música brasileira com tese sobre o Duo de Villa-Lobos para oboé e fagote, toca no Quinteto Villa-Lobos desde 1985. Gravou com este grupo inúmeros CDs de música brasileira e a obra completa para sopros de Villa-Lobos. É professor de oboé e música de câmara na Unirio onde atuou também como professor dos cursos de Pós Graduação. Camerista por excelência apresenta-se com a pianista Lilia Manfrinato Justi no duo de oboé e piano – Duo Justi, dedicando-se, sobretudo às composições para esta formação de compositores brasileiros.
23 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.11 - Fagote

Abordagem de estudos, peças do repertório, além de trechos de orquestra. Peculiaridades e técnica de interpretação. Lições práticas para confecção e raspagem de palhetas de Fagote.
Professor(a)Aloysio Fagerlande (SP) Aloysio Fagerlande (SP)
Natural do Rio de Janeiro, estudou com Noël Devos, Gilbert Audin e Gerald Corey. É doutor em Musica pela UniRio, e obteve o “Prix de Virtuosité” no Conservatoire National de Region de Rueil-Malmaison, França, (1986-1987). Como camerista e integrante do Quinteto Villa-Lobos já se apresentou nas principais salas de concerto do Brasil, América do Sul, Europa, África e Oriente Médio, além de ter registrado em CDs grande parte da produção camerística brasileira para fagote, com destaque para a obra de câmara para sopros de Heitor Villa-Lobos e Francisco Mignone. Como professor já ministrou oficinas e aulas em diversos Festivais e Cursos no Brasil, América do Sul e Europa; desde 1997 é Professor-adjunto de fagote da Escola de Música da UFRJ, orientando na graduação e pós-graduação.
23 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.12 - Trompa

Professor(a)Adalto Soares (RJ) Adalto Soares (RJ)
23 a 28
9h-12h e 14h-16h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.13 - Trombone

Público Alvo: Trombonistas
O curso é destinado a trombonistas que estejam em diferentes estágios de desenvolvimento e nele serão abordadas questões técnicas e de performance musical inerentes ao trombone.
Professor(a)Lélio Alves (BA) Lélio Alves (BA)
Iniciação: Banda de Concerto de Volta Redonda-RJ. Formação acadêmica: bacharelado em trombone e tuba (bombardino) na UFRJ. Especialização de Docência Superior na Faculdade Béthencourt da Silva (FABES-RJ). Formação Pedagógica (ISERJ). Mestrado em Música (UFRJ). Doutorado em Música (UNIRIO). Grupos onde atuou: Orquestra Sinfônica da Bahia, Banda Sinfônica do CBMERJ, Orquestra Sinfônica da UFRJ, Orquestra BR Sinfônica, Quinteto Carioca de Metais, Madrigal de Trombones do RJ, entre outros. Festivais e Cursos onde lecionou ou atuou: a)Trombone: Festival Vale do Café-RJ (2007-2015); Fórum de Música, Educação, Gestão e Cidadania-RJ (5 edições; Gramado in Concert (2015); Oficina do XX Festival de Música Instrumental da Bahia (2015 e 2016); Festival Internacional de trombones da UNIRIO (2012,2014, 2016); Jornada de Qualificação profissional pelo Interior da Bahia(2013); Diversos Festivais da Associação Brasileira de Trombonistas (ABT). Performa – Portugal (recital com Trio do bahiabones - 2015); Turnês com o Quinteto de Metais da UFBA na Argentina, Uruguai, Chile e Estados do Nordeste. III Forum de Instrumentos de Metais do Centro-Oeste e I Encontro Brasileiro de Quintetos de Metais. (2013); I Encontro Pernambucano de Metais (2015); Seminário de Metais da UEA (2013/2014); Masterclass de Trombone na Universidad de La Republica Uruguay (2015); Tapera das Artes- Projeto Mestre e Aprendiz (2011) b) Banda de Música: Festival de Música de Londrina (2015/Banda de Música); Fórum de Bandas Filarmônicas da UFBA (2014/2015); Congressos da ABEM (2011/2013), Jornadas Acadêmicas Integradas do Centro de Letras e Artes (UFSM - 2012); Encontro Regional (Sudeste) da ABEM em Vitória-ES (2014). Publicações: Trombone Fácil: método para principiantes de trombone, bombardino e tubas (Irmãos Vitale,2014); Dissertação onde elaborou um catálogo temático de obras para trombone, referência no meio trombonístico.Tese de doutorado onde propôs a transformação do ensaio de uma banda de música escolar em um Ensaio-Aula, além de artigos. Projetos e Escolas onde lecionou: Volta Redonda Cidade Da Música (RJ); PIM (Projeto de Integraçaõ pela Música (RJ); Bamuca (Camaçari-BA). Orquestra Jovem da Petrobrás-Sinfônica (RJ); Prefeitura do Rio de Janeiro. Atividades atuais: professor adjunto de trombone da UFBA; professor do Mestrado Profissional (PPGPROM) da UFBA; membro do Quinteto de Metais da UFBA; membro do grupo Belle Époque(RJ); professor e coordenador do Curso de Licenciatura em Música e da Pós-Graduação em Educação Musical do Instituto Brasileiro de Educação Superior Continuada (IBEC). Professor de metais e regente da Banda de Concerto da FAETEC-Marechal Hermes.
23 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.14 - Trompete

Este curso visa abranger todos os aspectos musicais relacionados ao trompete, levando em conta os diferentes contextos e realidades dos alunos, bem como seu grau de formação.
O objetivo principal é dar o suporte para que os alunos iniciantes possam aplica-lo quando estiverem na
ausência do professor. E quanto aos alunos avançados o objetivo é aprimorar a técnica para facilitar a expressão musical, considerando as diversas formas de atingir um dado objetivo.
PRÉ – REQUISITOS:
O aluno precisa saber ler música, possuir seu próprio instrumento bem como ter no mínimo uma noção básica para que possa acompanhar as aulas, uma vez que as mesmas serão em sua maioria coletivas.
O Aluno deverá possuir seu livro de estudos ou músicas que pretende trabalhar. Também será fornecido material pelo professor. Estes são: estudos básicos, métodos avançados, música do repertório tradicional do trompete, bem como música de câmara.
Professor(a)Cícero Cordão (PR) Cícero Cordão (PR)
Nasceu em 18/12/1970 em Itaporanga – PB, onde começou seus estudos musicais no ano de 1983 na banda de música local. Em 1986 mudou-se para João Pessoa onde continuou seus estudos no curso de extensão em música da UFPB, na classe do professor Gláucio Xavier. Concluiu seu bacharelado em trompete em 1992 na UFPB e seu mestrado em performance na UNIRIO em 2010, ambos orientados pelo prof. Dr. Nailson de Simões. Em 2008 concluiu sua pós-graduação em educação musical na UEL. Recebeu orientação de renomados professores nacionais e internacionais, entres os quais se destacam: Charles Schulueter, Fred Mills, Nailson Simões, Anor Luciano, Gilberto Siqueira, Fernando Dissenha, entre outros, também dividindo o palco com os mesmos em várias ocasiões. Como professor atuou na UFPB (como monitor durante o bacharelado), no festival de música de Assis –SP (1996), 3º e 4º Festivais de Música de Ourinhos-SP (2003, 2004), 24º, 25º, 32º e 33º Festivais de Música de Londrina –PR (2004, 2005 e 2012 e 2013), 1º festival de Artes de Palmas – PR (2006), 3ª Semana Temática de Sopros da EMUFPA – Belém-PA (2013), Banda Marcelino Champagnat (várias vezes campeã nacional e estadual), várias bandas dos estados do Paraná e de São Paulo, entre outros. Também ministrou máster classe para alunos de metais da Illinois State University (USA). Desde 1993 mantém o seu curso particular de trompete onde já formou e continua formando profissionais. E atualmente leciona na Banda de Metais Branca da Mota em Maringá-PR. Desde 1993 é 1º trompete e solista da Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual de Londrina (OSUEL), e do Quinteto Metais do Paraná. Com a OSUEL já fez inúmeras participações como solista. Também como solista, já se apresentou nos EUA e na Itália, e, tem atuado com o “Duo Londrina de Trompete e Piano” com a pianista Luciana Gastaldi, com quem desde 1994 tem tocado as peças mais importantes do repertório do trompete. Paralelamente, atua como professor e avaliador de concursos de bandas regionais, estaduais e nacionais. Em 2010 foi diretor da Casa de Cultura da UEL, e atualmente, além de 1º trompete, é chefe da Divisão de Música da Casa de Cultura da UEL, cargo este que assumiu em 2010.
23 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

02.15 - Saxofone

Descrição do curso:
O curso visa o aprimoramento técnico-interpretativo no saxofone, com ênfase na utilização do instrumento na banda de música. Serão abordados tópicos sobre a história do instrumento, sua utilização na música popular, no jazz e na música clássica. A função do saxofone na banda de música.

Tópicos a serem abordados:
Aspectos históricos e estilísticos
Emissão do som
Respiração
Embocadura
Articulação – a utilização da língua
Escalas e Arpejos
Estudos para desenvolvimento técnico e interpretativo
Ornamentos
Repertório
Música de Câmara

Bibliografia:
PINTO, Marco Túlio de Paula. Saxofone fácil: método prático para principiantes. Rio de Janeiro: Irmãos Vitale, 2014.
BOZZA, Eugène. Douze études-caprices pour saxophone. Paris: Alphonse Leduc, 1944.
CARAVAN, Ronald. Preliminary Exercises & Etudes in contemporary techniques for saxophone. Medfield: Dorn Publications, 1980.
CAVALLINI, Ernesto. Thirty Caprices transcribeds for saxophone or oboe by Gerardo Iasilli. Vol 1. New York: Carl Fischer. 1954.
______. Thirty Caprices transcribeds for saxophone or oboe by Gerardo Iasilli. Vol 2. New York: Carl Fischer. 1954.
HARVEY, Paul. Saxophone. London: Kahn & Averill, 1995.
HOVEY, N. W. Rubank elementary method, saxophone. Chicago, Ill.; Milwaukee, WI: Hal Leonard Corporation, 1990.
INGHAN, Richard (Ed.). The Cambridge companion to the saxophone. Cambridge, U.K. ; New York, NY, USA: Cambridge University Press, 1998.
LACOUR, Guy. 50 études faciles & progressives pour saxophone. Nouvelle édition. Vol. 1. [s.l.]: Gérard Billaudot Éditeur, 1989.
______. 50 études faciles & progressives pour saxophone. Nouvelle édition. [s.l.]: Gérard Billaudot Éditeur, 1989.
LINDEMEYER, Paul. Celebrating the saxophone. 1st ed ed. New York: Hearst Books, 1996.
LUCKEY, Robert A. Saxophone altissimo: High note development for the contemporary Player. Olympia Music, 1998.
RASCHER, Sigurd. Top-tones for the saxophone: four-octave range. 3rd ed ed. New York: Carl Fischer, 1983.
ROSSARI, Gustavo. 53 Melodious Etudes. Arr. Gerardo Iasilli. Vol. 1.San Antonio: Southern Music Company.
SKORNICKA, Joseph E. Rubank intermediate method, saxophone. Chicago, Ill.; Milwaukee, WI: Rubank ; distributed by Hal Leonard, 1991.
VOXMAN, Himie; GOWER, W. Rubank advanced method, saxophone: an outlined course of study designed to follow up any of the various elementary and intermediate methods. Chicago: Rubank, 1940.
Professor(a)Marco Túlio de Paula Pinto (RJ) Marco Túlio de Paula Pinto (RJ)
MARCO TÚLIO DE PAULA PINTO – Doutor em música (Teoria e prática da interpretação) e Mestre em música (Práticas interpretativas) pela UNIRIO. Bacharel em saxofone pela UFRJ. Professor adjunto de saxofone na UNIRIO – Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, atuando na graduação e pós-graduação (mestrado acadêmico, mestrado profissional e doutorado). Integra ainda a Banda Filarmônica do Rio de Janeiro como primeiro saxofonista e chefe de naipe. Atuou como professor de saxofone nas edições de 2007 a 2016 do Festival do Vale do Café, em Vassouras-RJ, dos 1º, 2º, 3º, 4º e 5º Fóruns de Música, Cidadania e Educação de Vassouras, promovido pelo PIM em 2009, 2010, 2012, 2011 e 2016 e do Projeto Banda Larga, edições 2009, 2010, 2011 e 2013 promovidos pela Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro em conjunto com a ASBAM – Associação das Bandas de Música do Rio de Janeiro, em 2009, 2010, 2011 e 2013. Participou também, dos Painéis Funarte para Bandas de Música no ano de 2014, 2015 e 2017, em Cachoeira-BA, Castanhal-PA e Belo Horizonte.. Na música popular tem se apresentado com os mais diversos artistas: Flávio Venturini, Jorge Vercilo, Bob Mintzer, Altamiro Carrilho, Nivaldo Ornelas, Gilson Peranzzetta, Perinho Santana, Paulo Moura, Jane Duboc, Beth Carvalho, Idriss Boudrioua, Mauro Senise, Ivan Lins, Guilherme Arantes e Chico César. Integrou a Banda de Luiz Melodia em 2001 e 2002, tendo participado da gravação do CD/DVD Luiz Melodia Ao Vivo Convida. Integrou ainda a UFRJazz Ensemble, com a qual gravou os CD´s UFRJazz Ensemble interpreta Julinho Barbosa e Paisagens do Rio. Integra a banda Brass de Pina, do compositor, pianista e arranjador Gilson Peranzzetta. É autor do livro Saxofone fácil: método prático para principiantes, lançado pela Editora Irmãos Vitale, com a coordenação do Prof. Celso Woltzenlogel.
16 a 21
14h - 17h
Igreja de Jesus Cristo

02.16 - Flauta Doce

Esse curso é destinado para alunos de flauta doce que já possuem leitura musical, e que já estudam o instrumento há mais de 3 anos e também a professores que buscam aprimoramento musical. O curso de flauta doce tem como objetivo trabalhar aspectos técnicos e musicais de todos os instrumentos da família da flauta doce, bem como, estreitar as relações com aspectos históricos do repertório desenvolvido afim de enriquecer a musicalidade mediante a interpretação musical e artística de cada um. Aberto para jovens e adultos, as aulas serão coletivas com momentos individuais para atendimento a alguma especificidade do estágio técnico e/ou musical em que se encontra cada flautista. Aos alunos: trazer todas as flautas que tiver, repertório que já toca e estante de partitura. Repertório sugerido: Sonatas e Concertos barrocos, e outros repertórios.
Professor(a)Gustavo de Francisco (SP) Gustavo de Francisco (SP)
Flautista, arranjador, e produtor; em 2006 fundou o Quinta Essentia Quarteto, seu trabalho mais expressivo e reconhecido internacionalmente; produziu as turnês internacionais do grupo, na Europa, China, Namíbia, Bolívia, Estados Unidos, e Austrália; produziu e gravou três álbuns, o La Marca (2008), o Falando Brasileiro (2013) e A Arte da Fuga (2017) e diversos projetos ao longo da carreira do grupo. Organizou três das sete edições do ENFLAMA - Encontro Nacional de flauta doce. Desde 2013, escreve artigos sobre flauta doce para a revista American Recorder da American Recorder Society e para o blog FlautaDoceBR. Desde 2012 é professor de flauta doce capacitado pelo método Suzuki,com formação no Brasil, Peru e Estados Unidos. Em sua carreira como solista, foi premiado em concursos destacando o Primeiro Lugar no Concurso Magda Tagliaferro de flauta doce (1994). Foi integrante de Orquestras como a Sinfônica Jovem e a Orquestra Filarmônica ambas em São Caetano do Sul. Engenheiro de formação e fotógrafo por paixão, é integrante e convidado, contribuindo para o trabalho de diversos grupos de música de câmara. Atualmente está interessado no estudo dos processos acústicos da flauta doce.
16 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

02.17 - Piano

Professor(a)Olga Kiun (PR) Olga Kiun (PR)
Descendente de uma tradicional família de músicos, a pianista Olga Kiun iniciou seus estudos de piano aos 6 anos de idade, com sua mãe e sua avó, ambas professoras do Conservatório Musical de Chisineu (Moldávia). No Conservatório Tchaikovsky, em Moscou, foi aluna do consagrado pianista e professor Lev Oborin, graduando-se com distinção. Foi laureada no Concurso Internacional George Enescu, na Romênia. Em Leningrado (hoje São Petersburgo), sob a orientação de Pavel Serebriakov, concluiu o doutorado e passou a integrar o Mosconcert, sociedade artística estatal, junto da qual realizou diversos recitais, concertos com orquestra e gravações para o rádio e a televisão por toda a ex-União Soviética. A partir de 1993 passa a lecionar na Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP), em Curitiba, e, desde então, vem fazendo da cidade um reconhecido e procurado polo pianístico da América do Sul, tendo elevado o ensino de piano a patamares sem precedentes. Olga Kiun tem formado gerações de pianistas atuantes no panorama musical brasileiro e internacional, que colecionam primeiros lugares em mais de 50 concursos nacionais e internacionais. Além de atuar como recitalista e solista junto aos mais conceituados grupos sinfônicos - tendo trabalhado com regentes como Evgeny Tsirlin, Emin Khachaturian, Kiril Kondrashin, Alceo Bocchino, Benito Juarez, Roberto Duarte, Osvaldo Colarusso, Osvaldo Ferreira e Roberto Minczuk - suas atividades pedagógicas incluem, ainda, participações como professora convidada em festivais de música por todo o país. Em 2010 gravou seu primeiro e em 2017 segundo CDs, com obras de compositores russos e brasileiros. Atuou e atua como jurada em inúmeros concursos de piano do Brasil, tendo sido diretora artística e uma das idealizadoras dois 1º Concurso Internacional de Piano de Santa Catarina e tendo também realizado as duas primeiras edições do Festival Olga Kiun em Curitiba, reunindo vários de seus alunos, ex-alunos e pianistas internacionais convidados.
20/07
9h-12h e 15h-17h30
Colégio Hugo Simas

02.17a - Masterclass Piano

Professor(a)Daisy de Luca Daisy de Luca
A Depois de seus estudos no Brasil, sua terra natal, a pianista Daisy de Luca estudou na Europa, com a brilhante Magdalena Tagliaferro, com Friedrich Gulda, Richard Hauser e Guido Agosti. Depois de ganhar varios premios em concursos nacionais, ela recebeu o Primeiro Premio no Mozarteum International Piano Competition, em Salzburg, na Austria. Depois, ganhou tambem o primeiro premio no Magda Tagliaferro International Competition em Paris, na França. Com uma impressionante sequencia de premios, foi convidada para muitas Orquestras Europeias e series de recitais, o que acabou por transformar essa promessa talentosa em uma artista internacional. Daisy de Luca tem apresentado centenas de concertos, tanto em recitais como como solista de orquestras pelo Brasil, Uruguai, Mexico, Guatemala, Nicaragua, El Salvador, França, Belgica, Holanda, Austria e Estados Unidos. Ela tem tambem uma longa carreira com musica de camara. Foi membro do Trio Pro Arte, atuou com varios grupos no Brasil e nos Estados Unidos, alem de apresentar-se ectensivamente com seu marido, o violionista Alberto Jaffe. Ela tambem foi grande contribuidora para o Metodo Jaffe de Ensino Coletivo de Cordas, desenvolvido nos anos 70. Atualmente ela e Artist in Residence, do Pensacola Christian College na Florida, Estados Unidos, desde 1992
16 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Auditório da Sonkey

02.18 - Violão erudito/popular

Estudo do repertório para violão solo em variações de estilos, formas, épocas, geografias e dificuldades técnicas.
Leitura e estudo de composições originais, transcrições e arranjos para violão solo.
Estudo do repertório de música de câmara para violão.
Desenvolvimento da leitura musical.
Reconhecimento das notas musicais no braço do instrumento.
Aprimoramento da afinação e da sonoridade.
Aplicação dos sinais específicos da digitação violonística para mão esquerda e direita.
Estudo dos elementos de expressão musical, como articulação, dinâmica, fraseado, timbre.
Metodologia de estudo.
Consciência corporal.
Estudo dos elementos ligados à performance musical, como concentração, presença de palco.
Estudo da improvisação.
Aplicação dos intervalos melódicos e harmônicos no braço do instrumento.
Estudo da montagem de acordes.
Estudo dos elementos do acompanhamento na área da música popular, como a leitura de cifra, a abertura de acordes e o domínio de ritmos brasileiros e estrangeiros.
Desenvolvimento do senso rítmico e da escuta atenciosa.
Análise e aplicação do campo harmônico das escaldas maior, menor natural, menor harmônica, menor melódica, diminuta e de tons inteiros, escalas pentatônicas, escala Blues, modos gregos (jônico, dórico, frígio, lídio, mixolídio, eólio, lócrio).
Professor(a)Camilo Carrara (SP) Camilo Carrara (SP)
Bacharel em violão clássico pelo Departamento de Música da ECA-USP e especialista em Gestão de Marketing Estratégico com MBA pela FEA-USP, Camilo Carrara atua no cenário musical fazendo a ponte entre os universos da música erudita e popular. Também é diretor e produtor musical, multi-instrumentista, arranjador, compositor e professor. Desde 2011 é responsável pela produção musical e arranjos orquestrais do espetáculo “Natal do Palácio Avenida”, evento que reúne milhares de pessoas no centro da cidade de Curitiba-PR e há 5 anos é artista em residência e professor de violão do Nacional Music Festival, em Maryland, nos EUA. Atua como músico convidado e solista em orquestras e grupos de câmara, como a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), Orquestra Municipal de São Paulo (OSM), Banda Sinfônica de São Paula, Orquestra Sinfônica de Santo André, Orquestra Sinfônica da Paraná e Balé Guaíra, Het Spectra Ensemble - grupo belga de música contemporânea. É frequentemente requisitado para gravações, shows e concertos, pelo Brasil e exterior, ao lado de artistas como: Alaíde Costa, Antonio Nóbrega, Cida Moreira, Eugénia Melo e Castro (Portugal), Fortuna, Lokua Kanza (Congo/França), Mônica Salmaso, Toquinho e Zizi Possi, entre outros. Participou de duas turnês com a OSESP: em 2003 sob a regência de John Neschling, e, em 2010, sob a regência do francês Yan Pascal Tortelier. Como convidado da orquestra, gravou a “Canção do Amor”, de Heitor Villa-Lobos e “Festas Romanas” de Otorino Respighi para o selo escandinavo BIS. Sua discografia consiste em mais de 70 CDs, entre participações e trabalhos solo. Na área da criação destacam-se suas trilhas para dança, TV, cinema, teatro e publicidade. Desenvolve intensa atividade pedagógica, tendo sido professor nas principais escolas de São Paulo. Lecionou nos Festivais de Música de Prados-MG, foi palestrante do I Mini-Festival de Música Contemporânea da Universidade Federal de Goiás-GO e do 30º Festival de Música de Londrina-PR. Coordenou o Departamento de Cordas Dedilhadas da ULM (Universidade Livre de Música) e por mais de 10 anos integrou o quadro de professores do Festival Internacional Música nas Montanhas, em Poços de Caldas-MG. Participou da equipe que elaborou o primeiro ENADE de música, em 2006, e integra bancas examinadoras em festivais de música e provas para vestibular. No momento é professor da Faculdade Cantareira e do curso de Formação para Músicos Educadores do Espaço Musical, em São Paulo. Seu leque de atuação ainda inclui o de parecerista em causas jurídicas que envolvem infrações dos direitos autorais na área de música.
CURSOS
16 a 21
14h - 17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.00 - Prática de MPB e Jazz

Os conceitos apresentados e desenvolvidos nas aulas de instrumentos serão agora colocados em pratica da forma mais concreta que é: tocar em conjunto.
Aqui, os alunos participantes das aulas de instrumentos poderão, a partir da execução em conjunto de repertório selecionado , ter a experiência pratica e a visão sobre a importância e o papel do seu instrumento e dos sons e frases que ele produz, para a qualidade do resultado musical final .
Foco em :
- Uso de técnica e habilidades em função da composição e do arranjo como um todo.
- O momento do solo/improvisos e sua conexão com o todo.
- Tocar ouvindo o outro - tocar para a beleza do todo.
- Expandir, transformar e recriar em tempo real o material musical, mantendo a conexão com a estrutura da composição
Professor(a)Professores de MPB Professores de MPB
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.01 - Guitarra

EMENTA: Aspectos timbrísticos, técnicos e estruturais do instrumento. Estudo intervalar no instrumento. Improvisação. Leitura de cifras e partitura. Rotina de estudo.
OBJETIVOS: Desenvolver a partir do instrumento (guitarra elétrica) diferentes modos de inserção no fluxo musical.
Improvisar
Desenvolver a fluência na leitura e performance a partir de um roteiro diário de estudos.
JUSTIFICATIVA:
O cânone do instrumento guitarra, no Brasil, ainda que tendo se desenvolvido muito nos últimos anos, devido ao surgimento de inúmeros cursos superiores em música popular (nicho no qual o instrumento é mais facilmente reconhecido), carece ainda de uma organização sistemática ao que diz respeito à métodos, repertório e abordagens acerca das competências relacionadas a uma boa performance. A propostas deste curso é preencher, mesmo que de modo sucinto e sintético, parte dessa lacuna presente na abordagem metodológica no ensino do instrumento.
BIBLIOGRAFIA:
ALDWELL, Edward and SCHACHTER, Carl. Harmony and Voice Leading. Orlando: Harcourt Brace Jovanovich College Publishers, 1989
CHEDIAK, Almir. Song books, Rio de Janeiro: Lumiar.
COOPER, Paul. Perspectives in music theory: an historical-analytical approach. Cincinnati: Dodd Mead & Company, 1973.
DALLIN, Leon. Techniques of twenty century composition: a guide to the materials of modern music. Dubuque: WM C Brown, 1974.
FARIAS, Nelson. The Brazilian Guitar Book. Petaluma: Sher Music CO, 1995.
GRAMANI, José Eduardo. Rítmica. São Paulo: Perspectiva, 1988.
GREENE, TEd. Chord Chemistry. S/d. MARTINO, Pat. Linear Expressions, REH.
KOSTKA, Stefan. Materials and techniques of twenty-century music. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1990.
MARTINS, Raimundo. A improvisação como instrumento da aprendizagem musical. Em pauta, Porto Alegre, 4, 5, 47-56, junho, 1992
MURAIL, Tristan. A Revolução dos Sons Complexos. Tradução de José Augusto Mannis. Cadernos de Estudo: análise musical. Belo Horizonte, 5, 55-72, 1992.
PERSICHETTI, Vincent. Armonia del siglo XX. Madrid: Real Musical, 1985.
WISNIK, José Miguel. O som e o sentido. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
Professor(a)André Siqueira (PR) André Siqueira (PR)
Compositor, arranjador e multi-instrumentista, é doutor em Ciências Sociais pela UNESP e Mestre em música pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Graduado em música pela Universidade Estadual de Londrina – PR sendo docente do curso desde 2008. Ministrou curso de guitarra e prática de conjunto no Festival de Música de Londrina nos anos de 2015 e 2016.
Finalista do prêmio profissionais da música 2018 na categoria de melhor instrumentista popular.
Finalista do prêmio profissionais da música 2017 na categoria de melhor artista instrumental.
Menção honrosa com o cd “Catamarã” no prêmio “Embrulhador” 2017.
Sua trajetória é composta por experiências diversas em cultura popular e por pesquisas em música contemporânea tendo gravado com vários músicos e participado de diversas mostras e festivais.
Possui três Cd´s gravados, “Lithos” (2001), “Afternoon Improvisations - Contemporary Music for 2 Guitars” em parceira com o violonista Camilo Carrara (2014) e “Catamarã” (2016). Todos os três integram o catálogo da Tratore discos com distribuição nacional e internacional.
Visite a página do artista: www.andresiqueira.art.br
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.02 - Contrabaixo elétrico

- Digitando Harmonicamente
- Criando e Coordenando Células Ritmicas
- Interpretando e Memorizando Sequencias de Acordes
- Conhecendo Baixistas Brasileiros
- Improvisando no Baixo
Professor(a)Glauco Sölter (SP) Glauco Sölter (SP)
Baixista, arranjador, compositor, professor, produtor e diretor musical. Em 1994 lança seu primeiro CD solo autoral e em seguida forma o grupo NaTocaia com Endrigo Bettega, Mário Conde e Jeff Sabbag, com quem lançou nacionalmente um CD pelo selo Movieplay do Brasil. Tocou com seu trio no Montreux Jazz Festival em 1998. Frequentou a Berklee College of Music no ano seguinte. Gravou ainda mais 3 trabalhos solo : "Fala Baixo", "Baxô" e "2 em 1". Seu mais recente trabalho foi selecionado pelo blog "Jazz Station" de Los Angeles como um dos melhores CDs de música instrumental de 2014 e ele como um dos 10 melhores baixistas de 2017. Em 2009 registrou o CD do grupo "Mano a Mano Trio", apresentaram-se com convidados ilustres como João Bosco e Amilton Godoy. Com o bandolinista Daniel Migliavacca formou o duo "Bandolaxo" que recebeu o 2.o lugar no Prêmio Nabor Pires de Camargo 2013, além de fazer parte de seu quarteto. Há 14 anos toca com Raul de Souza, renomado trombonista brasileiro, em 2014 realizaram uma série de shows convidando o contrabaixista norte americano Ron Carter, e também com o camaronês Richard Bona, o que resultou em inusitados diálogos "baixísticos". Já tocou também com Ed Motta, Zeca Baleiro, André Abujamra, Leo Gandelman, Kenwood Dennard, Júlio Barreto, Airto Moreira, Badi Assad, Arrigo Barnabé, Hamilton de Holanda, Borguetinho, Hugo Fatoruso, Toninho Horta, Martnália, entre outros.
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.03 - Bateria

O curso terá como foco as músicas que serão tocadas em grupo na Oficina de Jazz e MPB e os seguintes conteúdos:
- a bateria e sua aplicação no Jazz e na Música Popular Brasileira- MPB.
- o desenvolvimento da técnica a partir do material musical e em função do mesmo - melodia e harmonia ditam o caminho!
- a utilização criativa dos ritmos, timbres, dinâmicas e das várias vozes ( sons )da bateria para enriquecer o todo.
- Construindo uma carreira musical em estúdios de gravação, shows e turnês - troca de experiências vividas
Professor(a)Sérgio Reze (SP) Sérgio Reze (SP)
Graduado com menção Honrosa pelo Musicians Institute of Technology nos EUA, o Baterista e percussionista Sergio Reze, desde o seu retorno ao Brasil, tem atuado em shows e gravações ao lado de grandes nomes da música brasileira como: Ivan Lins, Monica Salmaso, Paulinho da Viola, Zélia Duncan, João Bosco, Dominguinhos, Toninho Horta, Hamilton de Holanda, Orquestra Popular de Câmara, Arnaldo Antunes, Nei Matogrosso, Lenine, Chico Buarque, Edu Lobo, Flávio Venturini, Elza Soares, Arrigo Barnabé, Ivan Vilela, Zé Renato, Swami Jr., Fabiana Cozza, Ceumar, Palavra Cantada, Marco Pereira, José Miguel Wisnik, Marcelo Jeneci, Zé Manoel, Lívia Mattos, Luiz Tatit, André Mehmari, entre outros. Seu trabalho na bateria, marcado por forte identidade estilística, foi indicado ao Prêmio Visa de Instrumentistas e tem contribuído para a ampliação dos limites do instrumento por meio da utilização de novos timbres e elementos melódicos. Ao longo de 20 anos de carreira Sergio está presente em mais de 80 discos gravados e tem se apresentado em diversos países como Alemanha, Áustria, França, EUA, Espanha, Portugal, Inglaterra, Cuba, Argentina, Uruguai, Equador, Bolivia, Colombia, Nova Zelândia e Japão. Também tem trabalhado com renomados artistas internacionais como The Tonkunstler Orchester na Áustria, como solista convidado do compositor norte americano Patrick Zimmerli ao lado da pianista Sônia Rubinsky, com o compositor e multiinstrumentista argentino Carlos Aguirre e na gravação do Cd “Fronteiras Imaginárias” ao lado do mestre saxofonista colombiano Antonio Arnedo. Sua colaboração de mais de 10 anos com a cantora Ná Ozzetti resultou em turnês e concertos pelo Brasil e exterior e em 3 discos gravados: " Balangandãs" vencedor do Prêmio Bravo na categoria melhor disco de MPB, “Meu Quintal” e “Embalar”, vencedor do Prêmio Governador do Estado de São Paulo. Sergio também tem um profundo envolvimento com a musica instrumental e o Jazz. Entre seus trabalhos neste campo estão a participação no disco “Dois Destinos”do violonista Marco Pereira e com os parceiros no grupo Trio+1 que lançou o disco homônimo pelo selo americano Adventure Music sendo muito bem recebido pela crítica especializada. O grupo tem uma agenda de apresentações no Brasil e exterior como no Festijazz em La Paz - Bolívia, em Cuba, no Grafenegg Festival na Áustria, no Festival Internacional de Jazz de Punta del Este- Uruguai e Savassi Jazz Festival em Minas Gerais. Sem dúvida neste campo da música a parceria mais importante de Sergio é com o premiado compositor, arranjador e multi-instrumentista André Mehmari. Vindos da mesma geração de músicos, Sergio e André estão celebrando 20 anos de amizade e parceria que resultou em uma grande variedade de concertos e discos. Dois desses trabalhos são os discos “ Afetuoso " ( lançado pela gravadora japonesa Celeste) e o recente “ As Estações na Cantareira” ambos em formato de trio com Piano, Baixo e Bateria . Com esta formação eles tem se apresentado em importantes salas de concerto e Festivais dentro e fora do Brasil como no Ecuador Jazz Festival, Spoleto Festival - Charleston - EUA e The University of Texas at Austin - EUA, Savassi Jazz , Brasil Jazz Fest , Ilha Bela Jazz, e turnê recente pelo Japão. Acesse https://vimeo.com/sergioreze para vídeos com Sergio tocando.
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.04 - Jazz Piano

O curso tem como objetivo abordar de maneira sintética e interligada uma série de pontos e ferramentas necessárias ao pianista arranjador:
Piano
• Improviso (estimulo e resposta)
• Percepção harmônica e melódica
• Piano solo.
• Piano em conjunto.
Arranjo
• Texturas e equilíbrio
• Re-harmonizacões
Professor(a)Tiago Costa  (SP) Tiago Costa (SP)
Pianista, compositor e arranjador vem transitando entre a música instrumental, a música popular e a música orquestral. Ganhou destaque como arranjador e teve suas peças gravadas dentro e fora do Brasil. Acompanhou e gravou com inúmeros artistas de primeira grandeza da música brasileira tendo já se apresentado nos cinco continentes. Como pianista e compositor faz parte do celebrado Vento em Madeira e tem duo com o grande saxofonista Teco Cardoso. Desde de 2015 atua como maestro convidado da Orquestra Jovem Tom Jobim além de integrar o conselho artístico da orquestra.
- Iniciou seus estudos musicais aos 8 anos de idade. Formado pelo curso de música popular pela Universidade Estadual de Campinas - Unicamp, vem atuando profissionalmente desde de 1990.
- Gravou ao lado de nomes como Maria Rita, Chico Pinheiro, Renato Motha, Tó Brandileone, Vinícius Calderoni, Trio Mocotó, Paula Lima, Vânia Bastos, Sá & Guarabira, Jair Rodrigues, Bocato, Lea Freire.
- Também tocou com Gilberto Gil, Ivan Lins, João Bosco, Lenine, Rosa Passos, Dori Caymmi, Joyce, Sérgio Santos, Zizi Possi, Fafá de Belem, Leila Pinheiro, Leo Gandelman, Cesar Camargo Mariano e José Luis Mazziotti.
- Como arranjador teve seu trabalho executado por: OSESP - Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Jazz Sinfônica, Orchestre National D ile de France, Israel Chamber Orchestra, Copenhagen University Big Band, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Sinfônica de Santo André, Orquestra Petrobras, Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, Ahn Trio (NY) para artistas como Milton Nascimento, Jane Monheit, Maria Gadú & 5 a Seco, Regina Carter, Maria Rita, Mônica Salmaso & Pau Brasil, Lenine, Edu Lobo, Zizi Possi, Céu, Stefon Harris, Stanley Jordan, Dave Liebman, Trio Corrente, Vanessa da Mata, Carlos Lyra, Maurício Einhorn, Fabiana Cozza, Luiz Melodia e Paulinho da Viola.
- Desde 2015 faz parte do conselho da Orquestra Jovem Tom Jobim onde vem atuando como regente convidado.
- Internacionalmente já tocou nos 5 continentes. Em destaque: sete turnês Europeia ao lado do trombonista Bocato onde gravaram dois cds na Suíça. Acompanhou também o Trio Mocotó em festivais na Ásia e Oceania. Em 2010 realizou uma série de shows no Japão ao lado de Chie Umezaua. Inúmeras apresentações em festivais na Europa incluindo 3 apresentações no renomado Montreux Jazz Festival. Em 2016 teve arranjo executado pela OSESP no BBC Proms no Royal Albert Hall em Londres.
- Ao lado de Maria Rita participou como pianista e arranjador do disco de estreia da cantora assim como nos discos ganhadores do Grammy “Segundo” e “Redescobrir”. Em 2014 o show de piano e voz com a cantora foi eleito um dos dez melhores do ano pelo New York Times.
Atualmente também integra o grupo “Vento em Madeira” como pianista e compositor com quem fez torne pelo Reino Unido em Junho 2016. O mais recente trabalho do grupo, o cd Brasiliana, foi eleito entre os 10 melhores do ano pelo críticos Juarez Fonseca e Kiko Ferreira. Desde 2015 faz parte do Conselho Artístico da Orquestra Jovem Tom Jobim da EMESP onde também vem atuando como regente.
16de Julho
15h - 17h
SESI cultural

03.04a - Masterclass Piano

A atividade é dirigida a pianistas que estejam interessados em desenvolver a linguagem do piano popular e jazzístico. Músicos especializados em outros instrumentos podem assistir à Master Class como ouvintes.
A duração é de duas horas, onde os alunos deverão executar qualquer peça ao piano, para avaliação e comentários.
Serão discutidos técnica instrumental, harmonia, arranjo, distribuição de acordes e todos os demais aspectos técnicos e estéticos da interpretação.
A Master Class é complementada por comentários gerais de Nelson Ayres sobre arranjo, improvisação e direcionamento didático.

Vagas limitas: 10 vagas para participantes
O Masterclass é aberto para o público que tiver interesse em assistir.

Professor(a)Nelson Ayres (RJ) Nelson Ayres (RJ)
Apesar de sua postura sempre discreta, o pianista, regente e compositor Nelson Ayres é amplamente reconhecido como umas das personalidades mais importantes da musica instrumental brasileira contemporânea, um constante inovador. Durante dez anos foi maestro da Orquestra Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo, e o principal responsável por seu enorme sucesso. Tem regido freqüentemente outras orquestras no Brasil e no exterior, incluindo a prestigiosa Orquestra Filarmônica de Israel. Como pianista, pode ser encontrado liderando a Nelson Ayres Big Band, dividindo o palco com Monica Salmaso, ou continuando a trajetória que vem desde 1978 do prestigioso quinteto instrumental Pau Brasil. Com o CD Villa Lobos Superstar o grupo conquistou os títulos de Melhor CD e Melhor Grupo Instrumental no Prêmio da Música Brasileira 2013. Tocou e gravou com Benny Carter, Dizzy Gillespie, Toots Thielemans Airto Moreira e Flora Purim, Ron Carter, Walter Booker, Vinícius de Moraes, Chico Buarque, Edu Lobo, Simone, Nana e Dori Caymmi, Milton Nascimento, Gal Costa e muitos outros grandes nomes do jazz e MPB. Com César Camargo Mariano, estrelou em 1984 o espetáculo Prisma, primeiro show brasileiro a usar intensivamente recursos de computação aliados a instrumentos eletrônicos. Composições de Nelson Ayres foram gravadas por Milton Nascimento, Herbie Mann, Monica Salmaso, César Mariano, Renato Braz, Kenny Kotwick, Joyce, Ivan Lins, Marlui Miranda, e até pelo cantor romântico Daniel, entre outros. Suas composições de musica erudita tem sido executadas por orquestras, solistas e grupos de câmara em todo o mundo, como a Orquestra Sinfônica de Jerusalém, New York Symphony Brass Quintet, Ahn Trio, Henry Bok e Julliard Brass Quintet. Foi comissionado pela Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, para compor seu Concerto para Percussão e Orquestra, indicado para o Grammy Latino 2011 como melhor CD de música clássica. Seus CDs Perto do Coração, Mantiqueira e Paixão são considerados grandes clássicos da música instrumental brasileira, merecendo extensos elogios da crítica. Acaba de lançar o cd Duo ao lado do violonista Ricardo Herz e o cd Nelson Ayres Big Band, ambos com muitos elogios do publico e da imprensa.
16 a 21
14h - 17h30
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.05 - Prática de Roda de Choro

Oficina voltada para a prática do choro em conjunto. Tem como objetivo proporcionar aos participantes a vivência e o aprendizado através da prática coletiva de cada de seus gêneros.
- Ensaio de arranjos realizados especialmente para a formação instrumental disponível no curso.
Aberta a todos os instrumentos.
Professor(a)Professores do Choro Professores do Choro
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.06 - Percussão choro

A proposta para o curso “Pandeiro/Percussão no Choro” é de aulas de percussão com ênfase no principal instrumento do gênero: o Pandeiro. O repertório a ser priorizado é de Choro e outros ritmos brasileiros como Samba-Choro, Maxixe, Baião, Polca, Frevo e Valsa Brasileira. Nas aulas serão mostradas técnica e Variações, Acentuações e características principais da percussão.
Conteúdo Programático
- História do Pandeiro desde seu invento até a sua chegada ao Brasil; principais Pandeiristas e suas características;
- Percussão Brasileira com ênfase no Choro, principais instrumentos: Pandeiro, Reco-reco, Caixeta, Tamborim, Ganzá e Prato e Faca;
- Estudos de ritmos básicos característicos do Choro; Acentos e Variações;
- Ritmos Nordestinos no Choro; Baião e suas Vertentes; Frevo;
- O Samba-choro; Acentuações ritmicas conforme Melodias; Variações Padrão;
- Conhecendo os instrumentos percussivos característicos e suas células básicas;
- Dinâmicas de uso em grupo de percussão para o bom funcionamento da roda de choro;
- Prática em grupo;
- Características atuais da Percussão Brasilleira.
Pré requisito para os alunos: Alunos precisam ter domínio técnico do pandeiro, leitura musical e iniciação no gênero.
É necessário possuir pelo menos: Tamborim, Reco-reco, Ganzá e Pandeiro com Pele Animal (imprescindível!).
Professor(a)Valerinho Xavier (DF) Valerinho Xavier (DF)
Por ser músico de grande versatilidade, cantando e tocando diversos instrumentos de harmonia e percussão, Valerinho Xavier já trabalhou com diversos artistas de renome nacional e internacional, dentre eles: Paulo Moura, Jorge Aragão, Altamiro Carrilho, Paulinho da Viola, Armandinho, Jair Rodrigues, Alcione, Zé da Velha e Silvério Pontes, Dona Ivone Lara, Beth Carvalho, João Donato, Dudu Nobre, Leny Andrade, Eduardo Dussek, Rita Ribeiro, Rildo Hora, Paulinho Moska, Jards Macalé, Hamilton de Holanda, Monarco, Mauro Diniz, Arlindo Cruz, Sombrinha. Fez diversas apresentações em vários países, dentre eles: Argentina, Espanha, Haiti, Gana, Estados Unidos, Canadá, Israel, Palestina, China, Chile, Portugal, representando o Clube do Choro de Brasília e com os Grupos Choro Livre e Coisa Nossa. Atualmente é Professor de Pandeiro na Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello e Músico integrante do Grupo Choro Livre.
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.07 - Cavaquinho

O curso de cavaquinho será focado no choro, importante pilar da música brasileira, além de aspectos técnicos e estilísticos aplicados ao instrumento. Dentro do ensino da técnica instrumental, serão abordados postura ao cavaquinho, empunhadura, técnicas de palhetada, técnicas de extração de volume sonoro, técnicas de expressão, levadas rítmicas para acompanhamento e técnicas de solo. O conteúdo será aplicado juntamente à prática de roda de choro (prática de conjunto), nos servindo dos clássicos do choro e dando enfoque principal em temas elaborados para o próprio cavaquinho.
Professor(a)Léo Benon (DF) Léo Benon (DF)
Cavaquinista e compositor, é licenciado e mestre em música pela Universidade de Brasília (UnB) e professor da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, em Brasília-DF. Como solista de cavaquinho, lançou seu disco de estreia (Léo Benon) em 2013. Participou de gravações ao lado de Carlos Poyares, Evandro Barcellos, Fernando César, Jorge Cardoso, Carlinhos Bombril e alguns cantores da capital federal. Acompanhou inúmeros artistas de Brasília e Rio de Janeiro. Já se apresentou em Portugal, Espanha, França e Angola, tendo ministrado palestras sobre o choro e a música brasileira nestes dois últimos países. Foi professor de cavaquinho no Festival de Música de Londrina nos anos de 2013 e 2014.
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.08 - Flauta transversal

A proposta para a Oficina “A Flauta no Choro” é de aulas de flauta transversal com ênfase no repertório de Choro e outros ritmos brasileiros como maxixe, baião, polca e valsa. Nas aulas serão mostradas técnica e sonoridade, improvisação e fraseado, além de formação de repertório.
Conteúdo programático
1 – A Flauta no Choro – A trajetória do instrumento no Brasil; Os principais flautistas (de Antônio Callado a Altamiro Carrilho;
2 – Estudos harmônicos com instrumento melódico – Como estudar harmonia com a flauta (na forma de arpejos)
3 – Estudos técnicos e de fraseado – Escalas; Arpejos; Vocabulário; Ornamentação; Variações e Improvisação.
Pré requisitos para os alunos:
Ter domínio técnico do instrumento e boa leitura musical.
Levar repertório de sua preferência para trabalhar.
Levar instrumento, estantes e partituras.
Professor(a)Sergio Morais (DF) Sergio Morais (DF)
Tocou nas orquestras Filarmônica de Brasília, Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro e Sinfônica da UFMT. Representou o Brasil através do Clube do Choro de Brasília no II Festival de Jazz de Porto-Príncipe (Haiti) em 2005, tocou em Ghana, (África) em 2009 e Bogotá (Colômbia) em 2012. Como professor, coordenou as oficinas de Choro dos festivais da ABRAF - Associação Brasileira de Flautistas em Maringá - PR, Uberlândia - MG e Campinas - SP respectivamente e substituiu o flautista Toninho Carrasqueira em master classe no festival 2012 em Manaus - AM. Em 2010 esteve em San Jose, Costa Rica, no VI Festival Internacional de Flauta da Acofla (Associação Costarricense de Flautistas) onde ministrou aulas de flauta e apresentou um recital de música brasileira para flauta e piano. Em 2011 participou do Festival Leo Brower em Maringá - PR, como professor e concertista. Lecionou em master classes nas duas edições do Curso de Verão do flautista italiano Raffaele Trevisani em 2010 e 2011 em Presidente Prudente - SP. Já dividiu o palco com Altamiro Carrilho, Hamilton de Holanda, Carlos Malta, Humberto Araújo, Beth Carvalho, Elton Medeiros, Walter Alfaiate, Luciana e Amélia Rabello, entre outros. É professor da Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello desde 2001. Além de tocar flauta, flautim, flauta em sol (contralto) e flauta baixo, é o primeiro flautista-contrabaixista do Brasil. Discípulo do grande Altamiro Carrilho, considerado por ele “o melhor solista de flautim do Brasil”, desde 2012 toca com sua flauta principal, uma Haynes de 1950 herdada a pedido do próprio mestre.
16 a 21
9h - 12h
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

03.09 - Violão choro

Professor(a)Fernando César (DF) Fernando César (DF)
O violonista Fernando César iniciou sua vida musical em 1981 no Clube do Choro de Brasília apresentando-se pela primeira vez junto com seu pai José Américo e seu irmão Hamilton de Holanda. Logo após os irmãos foram “batizados” como os Dois de Ouro, por Pernambuco do Pandeiro. Tocou com grandes nomes do música brasileira, como: Altamiro Carrilho, Raphael Rabello, Armandinho Macedo, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Dino Sete Cordas, Marco Pereira, Hermeto Pascoal. Sivuca, Sebastião Tapajós, Paulo Moura, Heraldo do Monte, Paulo Sérgio Santos, Joel Nascimento, Déo Rian, Carlos Poyares, Raul de Barros, Léo Gandelman, Zé Menezes, Wagner Tiso, Vittor Santos, Henrique Cazes, Turíbio Santos, Carlos Malta, Monarco, Nelson Sargento, Dominguinhos e outros. No Dois de Ouro gravou três CD’s. Participou também de dois cd’s de Hamilton de Holanda: I Prêmio Visa Instrumental(1998) e Hamilton de Holanda (2002). Seu violão está em diversos cd’s de artistas de Brasília. Em 2005 gravou os violões de 7 cordas do CD Meu amigo Geraldo Pereira de Nadinho da Ilha (Rob Digital). Além dos CD’s dos grupos Aquattro e Choro & Companhia, tem dois LP’s gravados com o grupo Choro Livre. Participou de diversos shows em países como França, Áustria, Turquia, África do Sul, Colômbia, Uruguai, Republica Dominicana, Haiti, Gana, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Argélia, Tunísia, Israel e Palestina. Nos shows pelo Brasil destacam-se o Free Jazz Festival em 2000 e Projeto Pixinguinha 2007/2008. Atua, também, como produtor e diretor musical, Desde 2002 é professor de Violão na Escola Brasileira de Choro Raphael Rabello, e de 2004 à 2010 passou a acumular também a função de coodenador da Escola, a primeira no mundo, voltada para o ensino do Choro. Ministra frequentemente cursos pontuais e oficinas de violão e de prática de conjunto em festivais, encontros e eventos diversos. Lançou seu primeiro cd solo intitulado 3 por 4 em dezembro de 2010. No ano de 2016 montou seu mais recente trabalho: Fernando César e Regional com o qual vem realizando shows em diversas cidades brasileiras como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Santos, Araras e Brasília, e em 2017 lançou o álbum Tudo Novamente.
CURSOS
16 a 28
18h - 20h
Colégio Hugo Simas

04.01 - Prática de Coro Adulto

A Prática de Coro Adulto será dedicada à preparação e interpretação de obras para coro misto com o objetivo de desenvolver e aprimorar a prática de leitura à primeira vista, percepção musical, técnica vocal e interpretativa do grupo como um todo. Durante os ensaios serão trabalhados exercícios vocais que atendam as necessidades técnicas do coro e do repertório a ser apresentado. Os cantores irão também participar de ensaios de naipe e coletivo que focarão nos vários aspectos da prática de coro incluindo elementos específicos da emissão vocal (postura, respiração, impostação, dicção, etc) assim como elementos relevantes à interpretação musical (afinação, precisão rítmica, tradução e interpretação de texto, contextualização das obras, etc).
Material: pasta preta com plásticos para colocar as partituras, lápis e borracha. Roupa preta para o concerto de encerramento. O coralista que não possuir roupa preta deverá entrar em contato com outros coralistas e se certificar que poderá emprestar o vestuário apropriado para o concerto. Coralista sem roupa preta não terá permissão para cantar no concerto. Sem exceções!
Pré-requisito: ser estudante de música e/ou atuante na área coral. Devido ao grande número de material a ser preparado em pouco tempo, não haverá classificação de vozes. Os coralistas devem saber sua classificação vocal antes do primeiro ensaio.
As partituras são fornecidas aos cantores pelo festival. É de responsabilidade do coralista trazer as partituras a todos os ensaios e estar presente ao maior número de ensaios possíveis. Todos os ensaios são elaborados pra preparação do repertório do concerto de encerramento. Devido a natureza do curso, os ensaios precisam fluir de maneira rápida e sem interrupções. É de responsabilidade do coralista estudar a sua parte em casa e chegar preparado para os ensaios. O núcleo pedagógico do festival não irá se responsabilizar por preparação extra ou fora dos horários de ensaio.
Professor(a)Ângelo Dias (GO) Ângelo Dias (GO)
Ao longo de sua trajetória artística, ngelo Dias vem desenvolvendo ampla atividade profissional no campo da música vocal, seja como regente, cantor (barítono) ou professor. Seu repertório solista abrange a canção de arte, brasileira e universal, além de outros gêneros como a cantata, o oratório e a ópera. Já atuou como solista com regentes como Helmuth Rilling (Alemanha), Daisuke Soga (Japão), Francesco Grigolo (Itália), Francis Graffeo (USA) e Thomas Sommerville (USA), além de nomes do cenário brasileiro como Norton Morozowicz, Sílvio Barbato, Marshal Gaioso, Emílio de César, Carlos Alberto Figueiredo e Osman Gioia. Ao lado da carreira como cantor, tem atuado profissionalmente como regente à frente de diversos grupos vocais e instrumentais. Nos Estados Unidos, como bolsista das universidades em que cursou mestrado e doutorado, regeu em tempo integral o University Singers, da Universidade de Wyoming e o Coro Masculino da Universidade de Oregon. De 1999 a 2008, foi regente do Coro Sinfônico de Goiânia, com o qual realizou mais de trezentos concertos documentados para a comunidade goianiense e de cidades vizinhas. Como maestro convidado, tem estado regularmente à frente de concertos com a Orquestra Sinfônica de Goiânia, a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás e a Camerata Jean Douliez (EMAC/UFG). Seus aclamados concertos corais-sinfônicos incluem O Messias, de Handel; O Oratório de Natal, a Paixão Segundo São João e diversas cantatas de Bach; a Missa do Orfanato e o Requiem, de Mozart; as missas Lord Nelson e Theresienmesse, de Haydn; o oratório Elias, de Mendelssohn; e o Réquiem Alemão, de Brahms, este na abertura da temporada 2017 da Orquestra e Coro Sinfônicos de Goiânia. Foi professor nos festivais de música de Londrina (2007 a 2011), no VI e VII UNIVERÃO (Universidade Católica de Recife – 2005 e 2006), e na II e III Semanas de Canto Lírico de São Luis, Maranhão (2008 e 2009). Integrou, como regente-professor, os Painéis FUNARTE de Regência Coral, tendo atuado em Cuiabá (2007), Recife (2008), João Pessoa (2009), São Carlos (2010), Quixadá (2011), Belém (2012), Teresina (2013), São João Del Rei (2014) e Aracaju (2016). Comissionado pela Fundação Nacional de Artes (FUNARTE), compôs a obra coral Duas Líricas Brasileiras, para integrar a coleção para coro juvenil daquela instituição, lançada, em 2009, em âmbito nacional e internacional. Publicou também pela extinta Cantus Quercus Press (USA). Em 2016, estreou sua própria edição/orquestração do Te Deum do pernambucano Luís Álvares Pinto (1719-1781), no projeto nacional SESC Partituras. É autor mais de uma centena de arranjos corais. Angelo Dias é Doutor em Artes Musicais (DMA) pela Universidade de Oregon (EUA), Mestre em Música (MM) pela Universidade de Wyoming (EUA) e Bacharel em Canto pela Universidade Federal de Goiás. Desde 1992, é professor na Escola de Música e Artes Cênicas da UFG, onde rege o Coro de Câmara e atua nos cursos de Graduação e Mestrado, nas áreas de performance e musicologia histórica.
16 a 28
9h-12h e 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

04.02 - Prática de Ópera

Objetivo: Oferecer ao aluno a experiência de preparação e participação em uma produção operística proporcionando a vivência vocal, corporal, cênica e musical necessárias para formação de um cantor lírico.
O repertório escolhido vem sempre de encontro com os objetivos didáticos de aperfeiçoamento técnico e artístico respeitando o desenvolvimento da classe. O repertório trazido pelos alunos também é aproveitado nas classes de Prática de Ópera, introduzidos em livre adaptação às obras escolhidas ou em apresentações extras marcadas durante o festival.
Há cinco anos a classe de Prática de Ópera do FML desenvolve a séria “ópera contada” sob orientação da professora Kalinka Damiani e da pianista Clenice Ortigara. A série, além das funções didáticas, apresenta a preocupação com a formação de plateia, aproximando a obra apresentada do público. Para isso a série conta com a participação de narradores que explicam o enredo ou ainda com versão em português das obras escolhidas. Assim foram apresentadas: O empresário, A Flauta Mágica, A escola de amantes e Bastien e Bastiene de Mozart, La serva padrona de Pergolesi, A viúva alegre de Franz Lehàr e a Cantata do Café de Bach.
Caberá aos professores, nos primeiros dias de aula, definir quais cantores estarão aptos a executarem cada um dos papéis da obra escolhida.
Esse ano a classe Prática de Ópera irá trabalhar com a livre adaptação da ópera João e Maria de Humperdinck, na primeira semana e Carmen de Bizet na segunda semana. As partituras bem como as partes a serem apresentadas estarão disponíveis no site do festival.

Atenção: No primeiro dia terá audições para conhecer as vozes e determinar os personagens das óperas.
Professor(a)Kalinka Damiani (SC) Kalinka Damiani (SC)
Graduada e pós graduada em música, estudou com Neyde Tomas e integrou o projeto “Tela Lírica”, intercâmbio do Teatro Guaíra e Universidade e Conservatório de Adria, Itália.
Entre suas premiações estão: Melhor soprano leggero, Melhor intérprete de Mozart e Prêmio do público no Concurso Maria Callas; 1º lugar Concurso Carlos Gomes; Troféu ABAL - melhor intérprete de Carlos Gomes; 1º Prêmio no Concurso Aldo Baldin; 1º lugar – Concurso Bianca Bianchi.
Atuou nas óperas L’Elisir d’Amore, La Traviata, Die Zauberflöte, I Capuleti e I Montecchi, Zaíra, La Serva Padrona, Il Guarany, Rigoletto, O Empresário, O Rapto do Serralho, Giulio Cesare, L´ Enfant et Le Sortilèges, A Viúva Alegre, O Barbeiro de Seviglia, Lucia di Lammermoor, La voix humaine e recentemente, Cosi fan Tutte. Em concerto foi solista da Nona Sinfonia e Fantasia Choral de Beethoven, Requiem de Mozart, Missa Sta Cecilia de Gounod, A Criação de Haydn, Messiah de Handel, Carmina Burana de Orff, Gloria de Vivaldi, A Floresta do Amazonas de Villa-Lobos e Les Illuminations de Britten.
Gravou o CD Carmina Burana lançado na Alemanha com a Camerata Antíqua de Curitiba e o DVD Madrigali D’Amore com o grupo Cantus Firmus.
Criou os projetos “Pisando no Palco” de prática de repertório e “Cirandas” premiado pela Funarte com a música de Villa Lobos. De sua performance em La Traviata a revista Opera Actual de Barcelona manifestou: “sobresalió Kalinka Damiani con una excelente preparación a nível vocal e interpretativo, com una voz de timbre elegante (...)
Desde 2011 leciona no Festival de Música de Londrina somando 10 produções com os alunos da classe de ópera Partituras: João e Maria Carmen
16 a 28
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

04.03 - Técnica Vocal - Lírico

Objetivo Geral: Desenvolver e reforçar os conhecimentos técnicos do canto e sua aplicação no repertório de ópera, câmara e musicais além de dar suporte técnico para a classe de Prática de Ópera.
Objetivos específicos;
1. Fundamentos do desempenho vocal:
* postura, respiração e apoio respiratório
* articulação, ressonância e projeção vocal
* expressividade: elementos de dinâmica e fraseado
* aspectos da performance vocal em público
2. Desenvolvimento de repertório:
* Escolha, estudo e desenvolvimento de repertório vocal em solo, duos, trios, quartetos... de ópera, câmara e musicais. Prática de conjunto.
* O estudo da personagem.

Pré requisitos para alunos executantes: Ser estudante de canto lírico.
Sem pré requisitos para alunos ouvintes

Obs: Alunos inscritos neste curso podem participar da "Prática de Ópera". No primeiro dia terá audições para conhecer as vozes e determinar os personagens das óperas.
Professor(a)Ricardo de Castro (RS) Ricardo de Castro (RS)
Estudou com Neyde Tomas e Rio Novello em Curitiba. Aperfeiçoou-se com renomados mestres como Jaume Aragal (Espanha), Isabel e Benito Maresca (SP), Ricardo Tutman (RJ), Martina Graff (Alemanha), Carlos Harmuch (Suiça), Luigi Alva (Itália), Tamas Salgo, (Hungria), Ulrike Graff e Eduardo Álvares (RJ). Integrou o projeto “Tela Lírica”, intercâmbio entre o Teatro Guaíra e o Conservatório de Adria na Itália. Venceu o concurso Aldo Baldin em 2001 e 2008. Foi solista das óperas Madama Butterfly, Carmen, L’elisir D’amore, Die Zauberflöte, Bastien e Bastienne, Porgy and Bess, Il Guarani, Rigoletto, L’enfat et le sortilège, La Traviata, Cantata do Café, L’enfant Prodigue com destaque para A Viúva Alegre e O Rapto do Serralho, sob a regência de Julio Medaglia, Cosi fan tutte com maestro Alessandro Sangiorgi, Der Freischütz, no Teatro Guaíra em Curitiba sob a batuta de Stefan Geiger e recentemente Macbeth com regência de Emiliano Patarra. Em concerto foi solista da Nona Sinfonia de Beethoven com a Orquestra Sinfônica do Paraná no Teatro Guaíra sob regência do maestro Osvaldo Ferreira e com a OSUEL no Festival de Música de Londrina com quem também cantou a Missa Santa Cecília de Gounod sob regência de Maurizio Colasanti. Desde 2012 colabora como professor do Festival de Música de Londrina.
16 a 28
14h - 17h
Escola Canto da Lira

04.04 - Canto Popular e Técnica Vocal

Professor(a)Paulo Vitor Poloni (PR) Paulo Vitor Poloni (PR)
Nascido em Londrina, cantor, ator, produtor, preparador vocal e arranjador. Graduado em Licenciatura em Música e Administração pela Universidade Estadual de Londrina, Pós-graduado em Arte Educação. Iniciou seus estudos musicais em 2003 com a Maestrina Lucy Maurício Schimitd. No mesmo ano iniciou seus estudos de violão e piano. Estudou com importantes nomes do cenário da Música Brasileira Vocal, como Celso Branco, Patrícia Costa, Eduardo Lachevitz, Isa Taube, Izabel Padovani, Regina Lucatto, Ilessi, Alice Passos, Lívia Nestrovski, Jane Duboc e Lucina. Cantor, Ator e Produtor dos Espetáculos: Trio Mambembe – A Sambópera do Malandro; Carmen Miranda – Na batucada da vida; Música Criança – Bichos, Cores e Outros Amores; Carnaval das Marchinhas 2015, 2016 e 2017; com o Patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura de Londrina, através do Promic. Atuou como professor de Canto Popular e Técnica Vocal no Conservatório Musical de Londrina, na Escola de Artes Primeiro Encontro e na Escola de Música Sol Maior. Trabalhou como Produtor e Preparador Vocal da Banda Cluster Sisters. Preparador Vocal e Arranjador de diversos projetos, como “Araca – Arquiduquesa do Encantado”, sobre a obra da Aracy de Almeida e os espetáculos cênico-musicais “Um passeio com a Nuvem Feliz” e “A abóbora menina”, Cia Kiwi de Jaqueta. Atuou como ator em espetáculos como “Gota D’água”, “O Grande Circo Místico”, “O bem amado”, “Mãe coragem e seus filhos”, entre outros. Dirigiu as montagens “Cantando o nordeste: a vida do viajante”, “Chico e Noel, enquanto a fila não anda”, “A Santinha lá da serra”, “Tempo de Caetanear”, “Controlando a minha maluquez”, todas como resultado do Curso de Canto e Técnica Vocal que ministra ao lado das cantoras Natália Lepri e Gabriela Catai. Atualmente integra a Cia de Teatro Primeiro Encontro, tendo com ela montado o Espetáculo “O menino eterno”, que circula desde 2016, recebendo os prêmios de melhor dramaturgia e melhor trabalho de grupo na II Mostra Fênix. Produziu e atuou como cantor em dois Discos do projeto Música Criança, “Bichos, cores e outros amores” e “Um Circo diferente”, trabalhos que resultaram em dois Espetáculos cênico-musicais voltado para o público infantil. Produziu e atuou como cantor no Disco “Trio Mambembe – A Sambópera do Malandro”, resultado do Espetáculo homônimo, que estreou em 2012. Este espetáculo teve seu registro em CD lançado em Londrina em dezembro de 2017 Atua como cantor em trabalhos voltados para MPB como “Duo Policarpo” e “Trio Mambembe” e também voltado ao samba, como “Gafieira 43” Atualmente ministra aulas de Canto, individuais e em grupo, na Escola de Música Canto da Lira.
16 a 25
18h - 20h
Escola Canto da Lira

04.05 - Prática de Coro Cênico

Professor(a)Paulo Vitor Poloni (PR) Paulo Vitor Poloni (PR)
Nascido em Londrina, cantor, ator, produtor, preparador vocal e arranjador. Graduado em Licenciatura em Música e Administração pela Universidade Estadual de Londrina, Pós-graduado em Arte Educação. Iniciou seus estudos musicais em 2003 com a Maestrina Lucy Maurício Schimitd. No mesmo ano iniciou seus estudos de violão e piano. Estudou com importantes nomes do cenário da Música Brasileira Vocal, como Celso Branco, Patrícia Costa, Eduardo Lachevitz, Isa Taube, Izabel Padovani, Regina Lucatto, Ilessi, Alice Passos, Lívia Nestrovski, Jane Duboc e Lucina. Cantor, Ator e Produtor dos Espetáculos: Trio Mambembe – A Sambópera do Malandro; Carmen Miranda – Na batucada da vida; Música Criança – Bichos, Cores e Outros Amores; Carnaval das Marchinhas 2015, 2016 e 2017; com o Patrocínio da Secretaria Municipal de Cultura de Londrina, através do Promic. Atuou como professor de Canto Popular e Técnica Vocal no Conservatório Musical de Londrina, na Escola de Artes Primeiro Encontro e na Escola de Música Sol Maior. Trabalhou como Produtor e Preparador Vocal da Banda Cluster Sisters. Preparador Vocal e Arranjador de diversos projetos, como “Araca – Arquiduquesa do Encantado”, sobre a obra da Aracy de Almeida e os espetáculos cênico-musicais “Um passeio com a Nuvem Feliz” e “A abóbora menina”, Cia Kiwi de Jaqueta. Atuou como ator em espetáculos como “Gota D’água”, “O Grande Circo Místico”, “O bem amado”, “Mãe coragem e seus filhos”, entre outros. Dirigiu as montagens “Cantando o nordeste: a vida do viajante”, “Chico e Noel, enquanto a fila não anda”, “A Santinha lá da serra”, “Tempo de Caetanear”, “Controlando a minha maluquez”, todas como resultado do Curso de Canto e Técnica Vocal que ministra ao lado das cantoras Natália Lepri e Gabriela Catai. Atualmente integra a Cia de Teatro Primeiro Encontro, tendo com ela montado o Espetáculo “O menino eterno”, que circula desde 2016, recebendo os prêmios de melhor dramaturgia e melhor trabalho de grupo na II Mostra Fênix. Produziu e atuou como cantor em dois Discos do projeto Música Criança, “Bichos, cores e outros amores” e “Um Circo diferente”, trabalhos que resultaram em dois Espetáculos cênico-musicais voltado para o público infantil. Produziu e atuou como cantor no Disco “Trio Mambembe – A Sambópera do Malandro”, resultado do Espetáculo homônimo, que estreou em 2012. Este espetáculo teve seu registro em CD lançado em Londrina em dezembro de 2017 Atua como cantor em trabalhos voltados para MPB como “Duo Policarpo” e “Trio Mambembe” e também voltado ao samba, como “Gafieira 43” Atualmente ministra aulas de Canto, individuais e em grupo, na Escola de Música Canto da Lira.
16 a 21
9h-12h ou 14h-17h30
Colégio Hugo Simas

04.06 - Canto na Música Popular: técnica vocal e repertório

A proposta desse curso é trabalhar os aspectos técnicos, estilísticos e estéticos do repertório que o participante já canta, podendo ser de diferentes gêneros de música popular (mpb, jazz, gospel, entre outros), cada participante será ouvido individualmente.
Os inscritos devem trazer as partituras/cifras das cancões que irão cantar, e caso também tenham poderão trazer o play back
Também será proposto um repertório paralelo proposto pela professora e trabalharão questões da fisiologia vocal e intervalos para melhorar a performance vocal
Público alvo - cantores e cantoras de música popular, coro e outras configurações vocais.
Metodologia: utilizaremos os três livros de autoria da professora
Sobre Fisiologia vocal - Canto Uma Expressão, e Canto equilíbrio entre corpo e som
Sobre intervalos- Canto Uma consciência melódica, ambos da editora irmãos Vitale
Esses livros são voltados diretamente para o canto popular trazendo também cd para exercícios na oficina e em casa para dar continuidade
Bibliografia reduzida:
HIRANO,M Vocal Mechanismis in Singing Laryngological and phoniatric aspects J.voice, 2T:51-69,1988
LOVETRI, j., LESH,S.,WOO,P.Preliminary Study non the Ability of Trained Singers to Control the Intrinsec and Extrinsic Laryngeal Musculature.J.Voice, 13(2):29-226,1999.
PERELLÓ,J. Canto-Dicción:foniatria estética, Barcelona, Editorial Científico- Médica 1975.
PINHO, S.M.R. Tópicos em voz.Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 1997.
BEHLAU,M.oz o livro do especialista (VolI) Rio Janeiro, Editora Revinter 2001.
KENT, R.D.& READ,C.The Accoustic Analysis of Speech.San Diego, Singular Publishing Group,1992.
Professor(a)Tutti Baê (SP) Tutti Baê (SP)
Tutti Baê cantora paulistana, que vem desde 1989 fazendo shows, participando de gravações em cds, jingles, fazendo preparação vocal de cantores e atores, escrevendo livros e compondo. Iniciou sua carreira como crooner de vários grupos musicais da época como Banda Reveillon, Orquestra Paissandú, SP3, Amigos do rock, samba , funk e soul. Nesta época cursou a ULM (Universidade Livre de Música em SP), estudou com diversas professoras de técnica vocal e fonaudiólogas como Nancy Miranda, Madalena de Paula, Sivia R. Teixeira, Dra Cláudica Pacheco. Estudou e estuda Piano Popular com Amador Longhinni, Nelson Bergamini e Cristiane Neves. A cantora, já dividiu o palco com nomes, como Luiz Melodia, Guilherme Arantes, Simoninha , Cláudio Zoli , Fátima Guedes ,Lady Zu , Scowa entre outros. Tem 3 cds gravados e participou de algumas coletâneas internacionais. Tutti tem 3 livros sobre técnica vocal todos lançados, pela editora Irmãos Vitale. O primeiro, "Canto Uma Expressão" (Princípios Básicos de Técnica Vocal), escrito juntamente com Mônica Marsola; o segundo, “Canto: Uma Consciência Melódica” (Os intervalos através dos vocalizes), e o terceiro, “Canto Equilíbrio entre Corpo e Som” (Princípios da Fisiologia Vocal), feito com Cláudia Pacheco. Os três livros resultaram da sua larga experiência em preparação de vozes. Ministra aulas de canto e preparação vocal para cantores em oficinas e workshops por todo o Brasil em Sesc, Sesi, Festivais de música, escolas, redes de TV e Espaços Culturais. Por 7 anos, atuou como preparadora vocal do reality show Ídolos no SBT e na Rede Record, participou da preparação do grupo Rebeldes, da Oficina de atores da Rede Record e do grupo Kids X lançado recentemente pela Sony Music e Xuxa Produções. Realizando todas essas atividades sempre dentro de estúdios fizeram com que tutti fosse se aprimorando tanto na gravação e edição de vozes como no trabalho como produtora. Seu segundo cd Mosaico, lançado pela Trama foi produzido por Ronaldo Pelicano e ela, ficando entre os melhores do ano de 2003 eleito pelo Folhateen. Em 2006 o cd Ginga produzido por Antonio Luiz e Tutti teve incluso na trilha sonora da novela” Bela a Feia” da Rede Record, a música “Pisou na bola” de Bene Alves. Desde então vem fazendo gravações, edições de voz, melodine, demos, eps , cds, vozes para concurso e programas de tv, atualmente tem seu próprio estúdio o Vox Music Studio Veja no site alguns trabalhos realizados www.voxmusicstudio.com.br Atualmente tutti continua com as aulas e workshops e está finalizando as gravações de seu mais novo cd intitulado Samba, Jazz e Bossas, onde tutti conta e canta a cronologia da música brasileira e norte americana de 1900 até 1970, será um álbum triplo e conta com a participação especial e luxuosa de Liliana Bollos no piano, arranjos e produção e de Sérgio Arnone na percussão. O repertório traz músicas e autores incríveis como no cd de bossas: Rapaz de Bem (Jonny Alf); Copacabana(Alberto Ribeiro e João de Barro),Rio (Roberto Menescal), entre outras. No cd de samba e choro: Brasileirinho (Waldir Azevedo), Aquarela do Brasil (Ary Barroso), Se acaso você chegasse (Lupicínio Rodrigues), entre outras. No cd de jazz: St Louis Blues (W.C. Handy), Cheek to cheek (Irving Berling), Blue Moon (Rodgers and Heart) , Precious Lord (Thomas A. Dorsey) que inclusive será uma das músicas da apresentação dos alunos de canto popular no Festival Internacional de Londrina 2018.
CURSOS
16 a 28
09h - 10h30 ou 14h - 15h30
Colégio Hugo Simas

05.01 - Percepção musical - Nível 1

A percepção musical música será trabalhada a partir da escuta de forma a evidenciar aspectos da estrutura musical em relação com o estilo, forma, e conteúdo musical. A metodologia busca um trabalho integrado e que perpasse a análise e a síntese, a prática e o conceito. A abordagem pedagógica se fará através da improvisação, da escuta e treinamento auditivo, criação e performance.
Serão oferecido dois níveis de curso buscando atender às necessidades de cada participante.
A classificação e organização das turmas serão realizada nos dia 16 de julho.
Professor(a)Aida Machado (SP) Aida Machado (SP)
Bacharel em Psicologia e Mestre em Música pelo Departamento de Música da Universidade de São Paulo. Tem se dedicado à música de câmara e se apresentado em recitais com as mais variadas formações e repertório que abrange desde a música antiga até a música de hoje. É Coordenadora Pedagógica do Curso Superior de Música da Faculdade Cantareira, professora na Faculdade de Música Santa Marcelina e Escola Municipal de Música de São Paulo. Seu prestígio tem-lhe valido constantes convites para compor júris em concursos de piano e música de câmara e ministrar cursos em várias cidades e nos principais Festivais de música do país. Pinaista do Bruch Trio, ao lado de Mata Vidigal, clarinete e Marcelo Jaffé, viola, Aída foi convidada da Fundação Magda Tagliaferro, com Bolsa do Ministério da Cultura, integrando a equipe da Fundação na Hochschule Karlsruhe, Alemanha.
16 a 28
10h30 - 12h ou 15h30 - 17h
Colégio Hugo Simas

05.02 - Percepção musical - Nível 2

A percepção musical música será trabalhada a partir da escuta de forma a evidenciar aspectos da estrutura musical em relação com o estilo, forma, e conteúdo musical. A metodologia busca um trabalho integrado e que perpasse a análise e a síntese, a prática e o conceito. A abordagem pedagógica se fará através da improvisação, da escuta e treinamento auditivo, criação e performance.
Serão oferecido dois níveis de curso buscando atender às necessidades de cada participante.
A classificação e organização das turmas serão realizada nos dia 16 de julho.
Professor(a)Aida Machado (SP) Aida Machado (SP)
Bacharel em Psicologia e Mestre em Música pelo Departamento de Música da Universidade de São Paulo. Tem se dedicado à música de câmara e se apresentado em recitais com as mais variadas formações e repertório que abrange desde a música antiga até a música de hoje. É Coordenadora Pedagógica do Curso Superior de Música da Faculdade Cantareira, professora na Faculdade de Música Santa Marcelina e Escola Municipal de Música de São Paulo. Seu prestígio tem-lhe valido constantes convites para compor júris em concursos de piano e música de câmara e ministrar cursos em várias cidades e nos principais Festivais de música do país. Pinaista do Bruch Trio, ao lado de Mata Vidigal, clarinete e Marcelo Jaffé, viola, Aída foi convidada da Fundação Magda Tagliaferro, com Bolsa do Ministério da Cultura, integrando a equipe da Fundação na Hochschule Karlsruhe, Alemanha.
16 a 21
9h - 12h
CC Leste

05.03 - Corpo e voz para 3ª idade - I

Proposta: Trabalhar canções do repertório da melhor idade, conhecidas ou não, que possam fazer intersecções com outras linguagens como dança, movimento, cena, brincadeiras, jogos. Assim, fazendo com que o idoso consiga, de forma lúdica, se expressar através da arte.

Justificativa: A música estimula a memória, amplia sua cognição e dá vida ao cérebro, o que no idoso se faz muito necessário. Através dela, aguçamos a sensibilidade, damos espaço para a criatividade e, naturalmente, nasce uma linguagem de expressão social e artística. Fazer arte nessa fase da vida é de enorme realização e conquista.
Professor(a)Maru Ohtani (SP) Maru Ohtani (SP)
Maru Ohtani – Regente de Coral. Bacharel em piano pela Faculdade de Artes Alcântara Machado. Na EMIA (Escola Municipal de Iniciação Artística de São Paulo), entre crianças e adultos de várias idades, trabalhou por trinta anos. Cultiva a arte do cantar através de movimentos cênicos que tem como objetivo principal o cantar espontâneo. Regeu o Coral Sampa no show dos Rolling Stones em 2016 no Estádio do Morumbi em São Paulo. Foi Regente do coral infantil no Festival de Ourinhos em julho de 2016. Atualmente é regente do Coral Oroboro, coral misto, com repertório da MPB e arranjos próprios.
16 a 21
14h - 17h30
CC Oeste

05.03 - Corpo e voz para 3ª idade - II

Proposta: Trabalhar canções do repertório da melhor idade, conhecidas ou não, que possam fazer intersecções com outras linguagens como dança, movimento, cena, brincadeiras, jogos. Assim, fazendo com que o idoso consiga, de forma lúdica, se expressar através da arte.

Justificativa: A música estimula a memória, amplia sua cognição e dá vida ao cérebro, o que no idoso se faz muito necessário. Através dela, aguçamos a sensibilidade, damos espaço para a criatividade e, naturalmente, nasce uma linguagem de expressão social e artística. Fazer arte nessa fase da vida é de enorme realização e conquista.
Professor(a)Maru Ohtani (SP) Maru Ohtani (SP)
Maru Ohtani – Regente de Coral. Bacharel em piano pela Faculdade de Artes Alcântara Machado. Na EMIA (Escola Municipal de Iniciação Artística de São Paulo), entre crianças e adultos de várias idades, trabalhou por trinta anos. Cultiva a arte do cantar através de movimentos cênicos que tem como objetivo principal o cantar espontâneo. Regeu o Coral Sampa no show dos Rolling Stones em 2016 no Estádio do Morumbi em São Paulo. Foi Regente do coral infantil no Festival de Ourinhos em julho de 2016. Atualmente é regente do Coral Oroboro, coral misto, com repertório da MPB e arranjos próprios.
18-20/07
9h - 12h
SESI/AML

05.04 - Sons, Imagens e Mediação na Sala de Aula

A proposta tem como objetivo a formação continuada de professores de Arte de todos os níveis da Educação Básica, por meio de um curso de curta duração apoiado nos princípios da pesquisa ação. Para tanto será realizada a integração dos territórios das artes visuais e da música, visando investigar as questões conflitantes do ensino de arte na Educação Básica e propor ações concretas integrando as áreas envolvidas. O material de apoio didático é aquele produzido pelo Instituto Arte na Escola disponível no Polo Arte na Escola do Departamento de Arte Visual da UEL.
Professor(a)Cleusa Cacione (PR)Cleusa Cacione (PR)
Possui graduação em Música -habilitação: Piano pela Faculdade de Música Mãe de Deus (1976); graduação em Letras Anglo Portuguesa - habilitação licenciatura pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Arapongas (1974), especialização em metodologia do Ensino Superior pela Universidade Estadual de Londrina (1998) e mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (2004). Atualmente é professor assistente AS-D da Universidade Estadual de Londrina. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Educação Musical, atuando principalmente nos seguintes temas: educação musical, música, educação, avaliação e formação do educador musical. Faz parte do Polo Rede Arte na Universidade Estadual de Londrina, o qual é resultado de parceria com o Instituto Arte na Escola da Fundação Ioschpe, que tem como meta qualificar, incentivar e reconhecer o ensino da arte, por meio da formação continuada de professores da Educação Básica. http://lattes.cnpq.br/8504322208290579
Professor(a)Maria Irene P.O. Souza (PR)Maria Irene P.O. Souza (PR)
É graduada em Licenciatura em Artes Plásticas pela FAAP - Fundação Armando Álvares Penteado (1981), especialista em Fotografia pela Universidade Estadual de Londrina (1997), mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina (2000) e doutora em Estudos da Linguagem (UEL) 2007. Atualmente é professor Associado-B da Universidade Estadual de Londrina. Tem experiência na área de Artes, com ênfase na formação de Professor em Arte Visual, bem como em Fotografia e Ensino; atuando principalmente nos seguintes temas: fotografia, desenho, ensino de arte, leitura de imagem e estudos do texto verbo-visual. De outubro de 2010 a março de 2012 foi Coordenadora Adjunta do Programa Nacional de Professores (PARFOR)/UEL. De Abril de 2012 é a Abril de 2018 foi Coordenadora Geral do PARFOR/UEL. De 2015 a 2016 foi coordenadora da Regional Sul do FORPARFOR e em outubro de 2016 a novembro de 2017 foi vice-presidente do FORPARFOR. Coordena o Projeto de Extensão - ARTE NA ESCOLA: RENOVANDO CAMINHOS PARA A FORMAÇÃO CONTÍNUA DE PROFESSORES DE ARTE. É membro do Comitê Estratégico do Instituto Arte na Escola.
CURSOS
16 a 21
9h - 10h15
Igreja de Jesus Cristo

06.01 - Prática de Orquestra Infanto Juvenil

Os alunos de cordas e sopros matriculados nas oficinas infantis terão a oportunidade de participar desta oficina.
Utilizando-se da filosofia Suzuki, em que toda criança é capaz, será abordado repertório que englobe multi-níveis (dos iniciantes ao avançados) para que até mesmo os alunos que nunca participaram de uma orquestra e/ou que não possuem a leitura musical desenvolvida, possam experimentar esta vivência e para aqueles que já participaram, contribuírem com sua experiência.
Alunos que podem participar da Prática de Orquestra Infanto Juvenil:
Violino - Método Suzuki
Violoncelo - Método Suzuki
Flauta Doce - Método Suzuki

Atenção pais ou responsáveis: A criança que fica a manhã toda, deverá trazer o seu lanche (intervalo das 10h15 as 10h30) . O lanche deverá ser nos padrões permitidos pela lei que rege os lanches de crianças em ambiente escolar (sem refrigerante, sem fritura, grau permitido de sódio, açúcar e gordura).
Professor(a)Professores do Método Suzuki Professores do Método Suzuki
16 a 21
10h30 - 12h
Igreja de Jesus Cristo

06.02 - Prática de Coro Infantil

Cantar, brincar e movimentar são processos universais e naturais à criança, tornando-se condição para o desenvolvimento cognitivo e social do sujeito. Esta oficina compreende a prática coral infantil mediada pelo processo criativo e corporal das crianças, no qual, buscamos proporcionar experiências musicais, sociais, corporais e artísticas que sejam significativas aos participantes. Assim, o canto coral permeado por atividades voltadas à experiência corporal, espacial e criativa da criança promove o autodesenvolvimento de suas percepções, motoras e expressivas, nos quais, são direcionadas para todas as suas atividades sociais. Nossas experiências e atividades desenvolvidas serão apresentadas no final da oficina através de uma performance musical, criativa e corporal. Não deixe de vivenciar esta experiência!
Professor(a)Édi Marques (PR)Édi Marques (PR)
Mestre em Cognição e Educação Musical pela Universidade Federal do Paraná – UFPR. Especialista em Regência de Coros Infantis e Juvenis pela Fundación Schola Cantorum de Venezuela. Licenciado em Música pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Foi Regente do Coral infantil da UFPR. Atuou como pianista correpetidor da Escola de Dança do Teatro Guaíra e professor de musicalização para as turmas iniciais de ballet. Participou como assistente de regência e direção pedagógica do Espetáculo de Natal do Palácio Avenida de Curitiba - HSBC, entre os anos de 2009 a 2017. Atualmente assistente de regência, direção pedagógica e musical do projeto HSBC Educação, recentemente sob a coordenação do Banco BRADESCO, onde desenvolve atividades de educação musical por meio do canto coral, movimento corporal e orquestra. Estudante de graduação em Ciências Sociais pela UFPR. Professor colaborador da Universidade Estadual do Paraná – UNESPAR Campus II, onde coordena o curso de extensão Canto na Escola: uma experiência à prática de coro infantil, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Curitiba. Professor Colaborador da Universidade Estadual de Ponta Grossa.
Professor(a)Ana Paula Miqueletti (PR)Ana Paula Miqueletti (PR)
Natural de Altônia – PR, concluiu o curso técnico de piano (2003), sob a orientação de Nancy Maradei e Marion Schubert na Academia Musical Schubert (Umuarama-PR). Graduou-se e pós graduou-se na UEL em Licenciatura em Música (2000) e Performance Musical – piano (2007), respectivamente. Atuou como educadora musical na St. James’ International School (2001-2004) nas áreas de Ensino de Instrumento, Coro Infantil e Musicalização. Atuou como professora no Departamento de Música da UEL (2003) na área de Metodologia e Prática em Educação Musical e também no Parfor/UEL (2011/2014). Participou do ‘8th Symposium on Choral Music’ (Copenhagen/2008). Ministrou, juntamente com a equipe do projeto ‘Um canto e cada canto’, cursos de Educação Musical e Canto Coral na ABEM (2009) e SPEM (2010). Foi professora do 32º e 33º Festival de Música de Londrina (2011 e 2012) na Prática e Regência de Coro Infantil e no 34º Festival de Música de Londrina (2013) coordenou oficinas de Educação Musical voltadas ao ensino fundamental e médio. Participou da conferência da ACDA (American Choral Directors Association) em 2011 (Chicago - USA ) e em 2015 (Salt Lake City – USA). Em Setembro de 2015, viajou em uma turnê pela Europa, juntamente com o “Coral Unicanto” (Londrina-PR). Como pianista oficial do coro, tocou em concertos pela Holanda e Alemanha, além de ter composto dez arranjos para piano, com canções interpretadas pelo referido coral. Atualmente leciona piano, é pianista co-repetidora do “Coral Infantil Crystal Vectra”, pianista e regente no projeto “Um canto em cada canto” (Educação Musical através do canto coral) e desenvolve atividades de composição e arranjo para coro infantil e adulto.
16 a 21
10h30 - 12h ou 14h - 17h30
Igreja de Jesus Cristo

06.03 - Violino

Este curso vai abordar o violino no universo das crianças e adolescentes. Serão abordados os aspectos  técnicos, artísticos, históricos e todos demais assuntos pertinentes ao fazer artístico com violino. Ele é  direcionado para crianças e adolescentes mas aceita alunos de todas faixas etárias. Através da Filosofia da  Educação do Talento, também conhecida como Método Suzuki, os professores trabalharão com o próprio  repertório Suzuki, escalas e arpejos e canções especialmente arranjadas pelos professores para esta edição do  FIML.
É muito importante a participação dos pais ou responsáveis. Haverão atividades destinadas especificamente a  eles. No Método da Educação do Talento, os pais ou responsáveis são aqueles que devem criar o ambiente  propício ao desenvolvimento musical da criança/adolescente. Por isso a fundamental participação nesta  semana de muita música! Aos alunos de projetos sociais, reforçamos os convites para que os pais venham.  Diante da impossibilidade, solicitamos a presença de um professor responsável por eles permanentemente no  local. Neste caso, o professor também pode tocar conosco! 
Material e/ou equipamento necessário:
- Instrumento de tamanho adequado, em condições de uso.
- Para crianças menores de 7 anos, cartolina ou outro material que caiba os pés da criança com folgas nas laterais
- Crianças já iniciadas pelo Método Suzuki: livros do método, caso necessário.
- Caderno de anotação (para uso de pelo menos um dos responsáveis que deverá assistir às aulas)

ATENÇÃO:
1. É necessário que o aluno inscrito neste curso se inscreva também na Prática de Orquestra Infanto Juvenil
2. A criança que fica a manhã toda, deverá trazer o seu lanche (intervalo das 10h15 às 10h30) . O lanche deverá ser nos padrões permitidos pela lei que rege os lanches de crianças em ambiente escolar (sem refrigerante, sem fritura, grau permitido de sódio, açúcar e gordura)
Professor(a)Renata Jaffé (SP)Renata Jaffé (SP)
Iniciou seus estudos de violino com seu pai, Alberto Jaffé, tendo sido também aluna do violinista Claudio Cruz. Em1982 mudou-se para Champaign – Urbana, em Illinois, Estados Unidos, continuando seus estudos na National Academy of Arts. Foi também violinista das Orquestras Sinfônica Municipal de São Paulo e Jazz Sinfônica do Estado de São Paulo. É professora de violino desde 1986, e foi professora de violino do Pensacola Christian College – Florida, em 1994/95, época em que também começou a desenvolver o trabalho coletivo com o Método Jaffé, ainda nos Estados Unidos.
Professor(a)Brenno Castello Branco Lopes (PR)Brenno Castello Branco Lopes (PR)
Brenno Castello Branco Lopes
Brenno iniciou seus estudos musicais de uma forma muito próxima do aprendizado da língua materna: sua mãe é professora de música na Universidade Estadual de Londrina, portanto, a música sempre fez parte de seu cotidiano, desde o ventre. Dos 10 aos 16 anos de idade estudou Violão e Guitarra com Fernando Gouvea. Aos 16, autodidata e curioso, iniciou seu contato com o Violino, contato este qual nunca foi desfeito! Porém, ainda não o estudava, propriamente dito. Aos 20 anos começou a estudar Piano com Lilian de Almeida, com quem estuda até hoje; nesta mesma idade, iniciou seus estudos acadêmicos no curso de Licenciatura em Música na Universidade Estadual de Londrina. Aos 22 já era a hora: encarar todos os vícios do estudo autodidata com um professor de mais alto nível violinístico, maestro e luthier: Evgueni Ratchev, com quem ainda estuda até hoje. Após 3 anos de muito treinamento para eliminar seus vícios e progredir em seus estudos, aos 24, iniciou um caminho irreversível em sua vida: após conhecer o trabalho de Andre Isaia (RS), encantou-se pelo método Suzuki, tomou muitos cursos de capacitação, no Brasil e no Exterior, e abriu seu próprio Estúdio. Hoje trabalha com mais de 25 alunos em seu Estúdio privado, entre aulas individuais, coletivas, apresentações e master classes, e é membro da Associação Suzuki das Américas (https://suzukiassociation.org/people/brenno-castello-branco-lopes/). Faz do Violino, além de sua paixão, sua profissão. Ainda, acompanha seus alunos ao Violão e ao Piano e faz suas aulas coletivas em espaços públicos, as quais lhe encantam muito!
16 a 21
10h30 - 12h ou 14h - 17h30
Igreja de Jesus Cristo

06.04 - Violoncelo

Aula coletiva: Exercícios e jogos para o desenvolvimento da percepção rítmica e melódica, leitura, improvisação, criatividade e postura corporal. Prática de orquestra de violoncelos, com arranjos a duas e três vozes de repertório variado. Masterclass: Alunos executam suas peças individualmente e recebem orientação do professor enquanto os demais colegas assistem.
Obs.: A metodologia pode ser adaptada de acordo com a faixa etária e o número de alunos. Da mesma forma, a duração das aulas coletivas e masterclasses podem ser modificados de acordo com a demanda e necessidade dos alunos.
OBJETIVOS: Desenvolver habilidades musicais (ritmo, afinação, criatividade, improvisação e leitura) e habilidades corporais (consciência corporal e coordenação motora) necessárias para o violoncelo.

ATENÇÃO:
1. É necessário que o aluno inscrito neste curso se inscreva também na 06.01-Prática de Orquestra Infanto Juvenil
2. A criança que fica a manhã toda, deverá trazer o seu lanche (intervalo das 10h15 às 10h30) . O lanche deverá ser nos padrões permitidos pela lei que rege os lanches de crianças em ambiente escolar (sem refrigerante, sem fritura, grau permitido de sódio, açúcar e gordura)
Professor(a)Pedro Henrique Ludwig  (PR) Pedro Henrique Ludwig (PR)
Pedro Henrique Ludwig vem atuando como músico de orquestra, camerista e professor de violoncelo desde 2000. Foi o primeiro violoncelista a graduar-se pela Universidade Federal de Santa Maria em 2004, e no ano seguinte transferiu-se para os Estados Unidos para dar seguimento à sua formação. Recebeu o título de mestre pela Universiy of South Carolina, onde atuou no USC Graduate String Quartet, e prosseguiu com estudos de aperfeiçoamento na Carnegie Mellon University, com bolsas de estudos das próprias universidades. Vem atuando como músico convidado em orquestras no Brasil e nos Estados Unidos, destacando a South Carolina Philharmonic Orchestra, Augusta Symphony Orchestra, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e Orquestra Sinfônica Brasileira. Em 2012 atuou como chefe de naipe e coordenador da orquestra na gravação do CD “Responsórios Fúnebres” - José Maurício Nunes Garcia, do Coral Porto Alegre, com regência de Ernani Aguiar. Trabalho que recebeu o Prêmio Açorianos de Música como melhor intérprete erudito em 2012. Como professor, Pedro vem trabalhando no ensino de violoncelo de crianças de 7 anos a adultos amadores e, mais recentemente, jovens em fase de profissionalização. Trabalhou no Curso de Extensão da UFSM (Núcleo Suzuki de Santa Maria), implantou o ensino de violoncelo no Colégio Evangélico Augusto Pestana (Ijuí/RS), e deu assistência à classe de ensino médio da University of South Carolina. Lecionou também no Festival de Música de Cascavel em 2012 e 2013. Desde 2013 é professor do Departamento de Música da Universidade Estadual de Maringá. Seus principais professores foram Mônia Kothe, Adriane Savytzky, ngela Ferrari, Robert Jesselson e David Premo.
16 a 21
9h - 10h30
Igreja de Jesus Cristo

06.05 - Flauta Doce - Método Suzuki - Nível Iniciantes

O curso de flauta doce tem como objetivo trabalhar aspectos técnicos e musicais da flauta doce soprano/alto, bem como, estreitar as nossas relações com aspectos históricos do repertório desenvolvido afim de enriquecer a musicalidade mediante a interpretação musical e artística de cada um além de motivar para o fazer musical. Aberto para crianças, as aulas serão coletivas com momentos individuais (masterclass) para atendimento à alguma especificidade do estágio técnico e/ou musical em que se encontra cada flautista. É INDISPENSÁVEL A PRESENÇA DOS PAIS. Este curso é destinado para alunos suzuki de flauta doce e outros alunos que estudam o instrumento.

Os alunos serão divididos por níveis.
9h – 10h30: duas turmas destinadas a alunos iniciantes no instrumento. Professores: Gustavo de Francisco e Luciana Schmidt.

Aos alunos: trazer o seu instrumento (flauta doce soprano BARROCA), repertório que já toca (se tiver) e estante de partitura.
Professor(a)Gustavo de Francisco (SP)Gustavo de Francisco (SP)
Flautista, arranjador, e produtor; em 2006 fundou o Quinta Essentia Quarteto, seu trabalho mais expressivo e reconhecido internacionalmente; produziu as turnês internacionais do grupo, na Europa, China, Namíbia, Bolívia, Estados Unidos, e Austrália; produziu e gravou três álbuns, o La Marca (2008), o Falando Brasileiro (2013) e A Arte da Fuga (2017) e diversos projetos ao longo da carreira do grupo. Organizou três das sete edições do ENFLAMA - Encontro Nacional de flauta doce. Desde 2013, escreve artigos sobre flauta doce para a revista American Recorder da American Recorder Society e para o blog FlautaDoceBR. Desde 2012 é professor de flauta doce capacitado pelo método Suzuki,com formação no Brasil, Peru e Estados Unidos. Em sua carreira como solista, foi premiado em concursos destacando o Primeiro Lugar no Concurso Magda Tagliaferro de flauta doce (1994). Foi integrante de Orquestras como a Sinfônica Jovem e a Orquestra Filarmônica ambas em São Caetano do Sul. Engenheiro de formação e fotógrafo por paixão, é integrante e convidado, contribuindo para o trabalho de diversos grupos de música de câmara. Atualmente está interessado no estudo dos processos acústicos da flauta doce.
Professor(a)Luciana Schmidt (PR)Luciana Schmidt (PR)
Licenciada e especialista em Música pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), professora de flauta doce pelo método Suzuki, dulcista, proprietária-sócia do Estúdio Musical: Flauta e Fole (Londrina-PR), produtora musical dos eventos do Estúdio, organizadora da Maratona Flauta e Fole de Londrina desde 2015, realiza um trabalho musical ao lado de sua família (filhos: Giovana, Gabriel e esposo: Miguel Santos) com oficinas, shows e palestras. É integrante da Orquestra Barroca Capriccio Stravagante, pertencente à Divisão de Música da UEL, sob orientação de Elimar Plínio Machado e integrante do projeto Música Criança, também da UEL, sob orientação de Helena Loureiro e Mário Loureiro, participando do espetáculo “Um circo diferente”. Foi professora de música durante 16 anos em escolas de Ensino regular utilizando a flauta doce no processo de ensino aprendizado, professora convidada do curso de Música pelo PARFOR-UEL, durante três anos, e auxlia, desde, 2013 o trabalho de flauta doce para crianças no Festival Internacional de Música de Londrina.. Atualmente está em contínuo estudo sobre a Educação do Talento e o método Suzuki para flauta doce, tendo como professoras Renata Pereira, Barbara Barber e Mary Waldo. Participa ativamente de congressos, simpósios e festivais em diversas cidades do país, tendo como professores: Hélcio Muller, Cleusa Cacione, Magali Kleber, Betânia Parizzi, Lucy Schimitti, Liane Henstcke, Janete El Haouli, Helena Loureiro, entre outros. É membro da ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical), faz parte do grupo de membros da Suzuki Association of theAmericas (SAA) e integrante do grupo de louvor na Congregação Luterana Concórdia de Apucarana – PR.
16 a 21
10h30 - 12h
Igreja de Jesus Cristo

06.06 - Flauta Doce - Método Suzuki - Nível Intermediário

O curso de flauta doce tem como objetivo trabalhar aspectos técnicos e musicais da flauta doce soprano/alto, bem como, estreitar as nossas relações com aspectos históricos do repertório desenvolvido afim de enriquecer a musicalidade mediante a interpretação musical e artística de cada um além de motivar para o fazer musical. Aberto para crianças, as aulas serão coletivas com momentos individuais (masterclass) para atendimento à alguma especificidade do estágio técnico e/ou musical em que se encontra cada flautista. É INDISPENSÁVEL A PRESENÇA DOS PAIS. Este curso é destinado para alunos suzuki de flauta doce e outros alunos que estudam o instrumento.

Aos alunos: trazer o seu instrumento (flauta doce soprano BARROCA), repertório que já toca (se tiver) e estante de partitura.
Professor(a)Gustavo de Francisco (SP)Gustavo de Francisco (SP)
Flautista, arranjador, e produtor; em 2006 fundou o Quinta Essentia Quarteto, seu trabalho mais expressivo e reconhecido internacionalmente; produziu as turnês internacionais do grupo, na Europa, China, Namíbia, Bolívia, Estados Unidos, e Austrália; produziu e gravou três álbuns, o La Marca (2008), o Falando Brasileiro (2013) e A Arte da Fuga (2017) e diversos projetos ao longo da carreira do grupo. Organizou três das sete edições do ENFLAMA - Encontro Nacional de flauta doce. Desde 2013, escreve artigos sobre flauta doce para a revista American Recorder da American Recorder Society e para o blog FlautaDoceBR. Desde 2012 é professor de flauta doce capacitado pelo método Suzuki,com formação no Brasil, Peru e Estados Unidos. Em sua carreira como solista, foi premiado em concursos destacando o Primeiro Lugar no Concurso Magda Tagliaferro de flauta doce (1994). Foi integrante de Orquestras como a Sinfônica Jovem e a Orquestra Filarmônica ambas em São Caetano do Sul. Engenheiro de formação e fotógrafo por paixão, é integrante e convidado, contribuindo para o trabalho de diversos grupos de música de câmara. Atualmente está interessado no estudo dos processos acústicos da flauta doce.
Professor(a)Luciana Schmidt (PR)Luciana Schmidt (PR)
Licenciada e especialista em Música pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), professora de flauta doce pelo método Suzuki, dulcista, proprietária-sócia do Estúdio Musical: Flauta e Fole (Londrina-PR), produtora musical dos eventos do Estúdio, organizadora da Maratona Flauta e Fole de Londrina desde 2015, realiza um trabalho musical ao lado de sua família (filhos: Giovana, Gabriel e esposo: Miguel Santos) com oficinas, shows e palestras. É integrante da Orquestra Barroca Capriccio Stravagante, pertencente à Divisão de Música da UEL, sob orientação de Elimar Plínio Machado e integrante do projeto Música Criança, também da UEL, sob orientação de Helena Loureiro e Mário Loureiro, participando do espetáculo “Um circo diferente”. Foi professora de música durante 16 anos em escolas de Ensino regular utilizando a flauta doce no processo de ensino aprendizado, professora convidada do curso de Música pelo PARFOR-UEL, durante três anos, e auxlia, desde, 2013 o trabalho de flauta doce para crianças no Festival Internacional de Música de Londrina.. Atualmente está em contínuo estudo sobre a Educação do Talento e o método Suzuki para flauta doce, tendo como professoras Renata Pereira, Barbara Barber e Mary Waldo. Participa ativamente de congressos, simpósios e festivais em diversas cidades do país, tendo como professores: Hélcio Muller, Cleusa Cacione, Magali Kleber, Betânia Parizzi, Lucy Schimitti, Liane Henstcke, Janete El Haouli, Helena Loureiro, entre outros. É membro da ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical), faz parte do grupo de membros da Suzuki Association of theAmericas (SAA) e integrante do grupo de louvor na Congregação Luterana Concórdia de Apucarana – PR.
16 a 21
14h - 15h30
Igreja de Jesus Cristo

06.07 - Flauta Doce - Método Suzuki - para crianças de 3 a 5 anos

O curso de flauta doce para crianças de 3 a 5 anos tem como objetivo trabalhar aspectos técnicos e musicais da flauta doce soprano/sopranino de forma lúdica para que vivências de postura, sopro e articulação aconteçam de forma natural e divertida. Bem como, estreitar as nossas relações com aspectos históricos do repertório desenvolvido afim de enriquecer a musicalidade mediante a interpretação musical e artística de cada um além de motivar para o fazer musical. Aberto para crianças, as aulas serão coletivas com momentos individuais (masterclass) para atendimento à alguma especificidade do estágio técnico e/ou musical em que se encontra cada flautista.
É INDISPENSÁVEL A PRESENÇA DOS PAIS. Este curso é destinado para alunos suzuki de flauta doce e outros alunos que estudam o instrumento.

Atenção: trazer o seu instrumento (flauta doce soprano BARROCA), repertório que já toca (se tiver) e estante de partitura.
Professor(a)Luciana Schmidt (PR) Luciana Schmidt (PR)
Licenciada e especialista em Música pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), professora de flauta doce pelo método Suzuki, dulcista, proprietária-sócia do Estúdio Musical: Flauta e Fole (Londrina-PR), produtora musical dos eventos do Estúdio, organizadora da Maratona Flauta e Fole de Londrina desde 2015, realiza um trabalho musical ao lado de sua família (filhos: Giovana, Gabriel e esposo: Miguel Santos) com oficinas, shows e palestras. É integrante da Orquestra Barroca Capriccio Stravagante, pertencente à Divisão de Música da UEL, sob orientação de Elimar Plínio Machado e integrante do projeto Música Criança, também da UEL, sob orientação de Helena Loureiro e Mário Loureiro, participando do espetáculo “Um circo diferente”. Foi professora de música durante 16 anos em escolas de Ensino regular utilizando a flauta doce no processo de ensino aprendizado, professora convidada do curso de Música pelo PARFOR-UEL, durante três anos, e auxlia, desde, 2013 o trabalho de flauta doce para crianças no Festival Internacional de Música de Londrina.. Atualmente está em contínuo estudo sobre a Educação do Talento e o método Suzuki para flauta doce, tendo como professoras Renata Pereira, Barbara Barber e Mary Waldo. Participa ativamente de congressos, simpósios e festivais em diversas cidades do país, tendo como professores: Hélcio Muller, Cleusa Cacione, Magali Kleber, Betânia Parizzi, Lucy Schimitti, Liane Henstcke, Janete El Haouli, Helena Loureiro, entre outros. É membro da ABEM (Associação Brasileira de Educação Musical), faz parte do grupo de membros da Suzuki Association of theAmericas (SAA) e integrante do grupo de louvor na Congregação Luterana Concórdia de Apucarana – PR.
23 a 28
Ver nota na ementa do curso
Colégio de Aplicação Pedagógica UEL

06.08 - Banda de Garagem

A oficina “Bandas de Garagem” é uma prática de banda inovadora da qual participam crianças, jovens, adolescentes e adultos a partir de seis anos, e sem limite máximo de idade. A ideia é inverter a mão de diversos cursos de música que privilegiam a teoria, e iniciar na prática. Para isso, selecionamos grupos de no máximo oito alunos, mesmo que nunca tenham tido nenhuma relação com um instrumento musical, e colocamos a mão na massa.
Em uma semana de trabalho, a partir da segunda feira, separamos os grupos, o que cada componente tocará (é muito importante aproveitar tudo o que muitos já trazem), selecionamos o repertório, dividimos os grupos em manhã e tarde de modo que possamos atender a todos, numa média de 40 minutos para cada grupo, e os ensaios acontecem de segunda a sexta, até o “gran finale” que acontece normalmente no sábado.
Prezamos a variedade de estilos musicais, a experimentação, o estímulo, a questão lúdica e o processo em si, aspectos que trarão, além de uma grande alegria, a experiência feliz de tocar em uma banda, culminando com uma grande apresentação no Teatro Crystal.
Público Alvo
Crianças a partir de seis anos, adolescentes e adultos sem limite de idade.

Das 9 às 12h e das 14 às 17h.
Atenção:
Este curso será oferecido a partir da formação de grupos que formam a configuração de Banda. Cada "Banda" terá aulas, de 40 minutos durante a semana. O encerramento do curso será no dia 28/07, sábado às 9h30 no Teatro Crystal.
Para a organização das Bandas, será imprescindível que os inscritos compareçam no Colégio Hugo Simas no dia 22/07 as 15h para formação dos grupo e respectivos horários .A partir do dia 23/07, as aulas acontecerão no Colegio de Aplicação
Professor(a)Fernando Mello (RJ)Fernando Mello (RJ)
Formação /Áreas de Atuação na área da Cultura - Formado em Harmonia, Violão/Guitarra e Percepção pela Rio-Música (RJ); - Trabalhou e trabalha com musicalização infantil em diversas escolas de pré escolar e ensino fundamental de Teresópolis; - É formado em Letras (Língua Portuguesa/Literatura Brasileira) pela Universidade Plínio Leite (Niterói – RJ); - Cantor, Compositor e Instrumentista com três CDs lançados e um DVD; - Ministra aulas de Língua Portuguesa, Literatura Brasileira, Música e Redação em diversas escolas de Teresópolis - RJ; - Trabalhou como animador cultural no projeto CIEP; - Exerceu o cargo de professor substituto da cadeira de Percepção, na Rio Música (RJ) de 1988 a 1991; - Ministra aulas particulares de Harmonia, Violão/Guitarra e Percepção; - É professor de Iniciação Musical, Musicalização, Prática de Conjunto e Violão/Guitarra do Instituto de Artes (Integrartes); - É professor de musica no colégio CEM, desde 1998; - Ministrou oficinas de musicalização para todos os professores do município pela Secretaria Municipal de Educação.
Outras Atividades
- Autor, músico e diretor de diversos espetáculos de artes integradas, musicais que envolvem dança, teatro e música, entre eles: Messias, o Mensageiro da Esperança; Bumba Meu Boi; Mineiro Pau; MC Naíma em Busca do Seu Amor; 80 Rotações; O Baú das Histórias - Um Conto Africano; Vinícius, o Destemido; Auto de Natal.
- Professor de Prática de Banda do Instituto Integrartes, e representante desse Instituto na condução do projeto "Bandas de Garagem" no Festival Internacional de Música de Londrina.
Professor(a)Ale Donioli (PR)Ale Donioli (PR)
Ale Donioli é Graduado em Licenciatura em Música pela Universidade Estadual de Londrina (UEL 2012-2015) e formado em Guitarra MPB/Jazz pelo Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí (2002-2007), onde também cursou Violão Erudito durante dois anos (2003-2004) e Guitarra Comercial (2002); Participou em projetos artísticos na UEL/PR: Música Criança (2012-2014) e Camerata de Violões da UEL (2012-2015), e nos Projetos de Iniciação Científica: “A análise como suporte para a composição musical” (2012-2014) e "O PAPEL DA ESCUTA NO PROCESSO CRIATIVO DA LIVRE IMPROVISAÇÃO" (2013-2015); Participou da gravação do CD Bichos, Cores e Outros Amores do Projeto Música Criança lançado em 2013, tanto no auxílio da confecção dos arranjos, quanto das gravações de viola caipira nas faixas do referido CD; Deu aulas no Projeto Guri - Pólos Echaporã/SP, Maracaí/SP e Cândido Mota/SP no cargo de Professor de Violão, Regente e Arranjador, tendo como principais atividades: Planejamento de aulas e ensino de violão, regência de grupos de performance, arranjos e elaboração de materiais didáticos complementares; Ministrou aulas de música no Festival de Música de Goioerê / PR - FEMUG (2013).
Outras atividades: Atua como guitarrista e violonista nas bandas Sarará Criolo, Urutau Reggae e Oiti Trio; Produziu em parceria com o produtor musical Júlio Anizeli, o disco intitulado Suinga da banda Sarará Criolo, no qual também assina a direção musical e também diversas faixas do disco como compositor.